Skip to main content

O que fazer em Bruxelas – roteiro de 2 dias

Como já contei neste post, nos hospedamos em uma região não muito bonita de Bruxelas e a primeira impressão da cidade não foi das melhores, pois sempre imaginamos estes lugares como casinhas de boneca perfeitas, só que não, rsss.

No entanto, no nosso primeiro dia, fomos caminhando até a parte turística e… esquece tudo o que falei no primeiro parágrafo, hahaha, Bruxelas é linda demais!!!

E aí vai o que fizemos por lá em 2 dias para que sirva de inspiração.

O que fazer em Bruxelas em 2 dias:

Primeiro dia:

Manneken Pis:

Neste dia fomos caminhando até o Manneken Pis, a estátua do menino mijão, símbolo de Bruxelas. Tá, é uma simples e pequena estátua protegida por uma grade e com uma fonte, mas vale a visita, até porque, como já disse, é o símbolo do lugar e você não vai querer deixar passar, não é?

Do Manneken Pis, fomos caminhando pela rua Rue de I’Etuve até chegarmos a Grand Place. Estas ruas são muito simpáticas, com lojas, várias chocolaterias, souvenirs e muitos locais que vendem waffle com todo tipo de cobertura, uma mais apetitosa que a outra:

Grand Place:

Esta praça é rodeada de construções assim, como vou falar, uma simplesmente mais linda que a outra! Cheias de detalhes, muitos adornos dourados, um verdadeiro encanto. A prefeitura é a construção de torre mais alta e consegue ser incrivelmente deslumbrante.

Na Grand Place também há lojas de chocolate, cafés e restaurantes. Fomos de dia e voltamos à noite para vê-la também iluminada e é espetacular! Posso dizer que foi um dos lugares que mais adorei em Bruxelas.

Galeries Royales Saint Hubert:

Pegamos a rua Rue de la Colline a partir da Grand Place, dobramos à direita na Rue de la Montagne e caminhamos até a Galeries Royales Saint Hubert, uma galeria com chocolaterias, lojas, restaurantes e uma linda arquitetura. A atravessamos prestando atenção nos detalhes arquitetônicos, nas vitrines das lojas, provamos e compramos chocolates e continuamos nossa caminhada até a Rue dês Bouchers.

Rue des Bouchers:

Esta é uma rua de pedestres com muitos restaurantes. Prepare-se para ser abordado várias vezes por funcionários dos restaurantes que ficam na rua tentando convencer você a entrar e comer. Há menus de 12 a 15 euros com entrada, prato principal, sobremesa e uma bebida. A rua Rue dês Bouchers é estreita, de pedra, e bonita. Vá no horário da fome e divirta-se.

Royal Palace of Brussels:

Da Rue dês Bouchers, atravessamos a Galeries Royales Saint Hubert e seguimos pela Rue Infante Isabelle. Caminhamos até o Royal Palace of Brussels, que é o Palácio Real. Uma linda construção com um belo jardim e um museu anexo. Em frente ao palácio fica o Parc de Bruxelles, do qual falamos mais um pouco abaixo, que deve ser lindo no verão. No inverno não dá para visitar o palácio, mas valeu pela vista de seu exterior deslumbrante e pelas fotos.

Nos fundos do Royal Palace of Brussels, fica a igreja real, também uma belíssima construção que vale a pena conhecer. O nome dela: Saint Jacques sur Coudenberg.

Place du Grand Sablon:

Continuamos nossa caminhada pela Place Royale, seguindo pela Rue de la Régence, viramos à direita na Rue Bodenbroek até chegarmos à Place du Grand Sablon. Pena que já era noite e o comércio havia fechado, porém, nesta praça há prédios bonitos, lojas, cafés e restaurantes. Bem próximo à praça fica a Igreja Notre Dame du Sablon, lindíssima. Somente a vimos por fora por causa do horário, mas realmente valeu a pena.

Avenue Louise:

Próxima à Place du Grand Sablon está a Avenue Louise. Seguimos a partir da Igreja Notre Dame du Sablon até a Rue de la Régence, virando à direita para chegarmos a Avenue Louise, que é aquelas avenidas queridinhas para se comprar olhar muitoooo. É nesta avenida e arredores que estão as grandes marcas mundiais como Louis Viton, Furla, Tiffany & Co, entre outras. Só não comprei nada porque as lojas já estavam fechadas, hahahaha. Mas se você quer ter mais sorte que eu, vá antes das 20 h, ao menos no inverno.

Segundo dia:

Atomium:

Pegamos a linha azul do metrô na direção Roi Baudoin e descemos na penúltima estação – Heysel. Dali caminhamos até o Atomium, uma construção em forma de átomo com uma bela vista da cidade ao alto.

Os preços dos ingressos: Crianças de 6 a 11 anos, 6 euros. De 12 a 17 anos e estudantes, 8 euros. Adultos, 12 euros. Maiores de 60 anos, 9 euros. Também há a opção de combo Atomium + Adam, que é uma exposição de arte e design, por 12 euros para as crianças, 14 euros para adolescentes de 12 a 17 anos, 17 euros para o adulto e 14 euros para maiores de 60 anos.

Entramos no Atomium e pegamos o elevador até o topo para apreciarmos a vista 360º. Descemos de elevador (há uma ascensorista que leva até o ponto certo) até um ponto onde se segue de escada para cada uma das esferas, onde há exposições sobre a empresa de aviação Sabema.

Na região do Atomium há várias atrações, como o Mini Europe, que vimos lá do alto, mas não entramos, pois achávamos que iríamos ao Mini Mundo em Hamburgo. Acabou que não deu tempo, uma pena. Mas o Mini Europe aqui em Bruxelas parece uma boa opção de passeio.

Parc de Laeken:

Bem ao lado do Atomium fica o Parc de Laeken. Caminhamos por entre as árvores, sentamos por um momento em um banco e apreciamos a natureza bela do lugar.

Deste parque, pegamos o metrô para Cinquentenaire Park.

Cinquentenaire Park:

Este parque fica em uma região moderna de Bruxelas, com prédios comerciais bonitos e importantes complexos europeus. É um bonito local com um belo arco e museus.

Caminhamos pelo Parque do Cinquentenário até chegarmos aos edifícios comerciais. Na região há lanchonetes e restaurantes.

Quartier Européen:

O Cinquentenaire Park fica na região denominada Quartier Européen. Neste bairro passamos por edifícios conhecidos e importantes como o Conselho Europeu (Consel Europeu), o Comitê Econômico e Social Europeu e o Parlamento Europeu. Pena termos chegado tarde no último, pois há visitas ao parlamento até às 16h, de segunda a quarta, e até às 13h nas sextas. Fica na Bélgica uma das sedes do parlamento europeu.

Parc de Bruxelles e de volta ao centro velho:

A partir do Cinquentenaire Park, voltamos a fazer nossos passeios à pé.

Da região dos grandes edifícios de importância institucional, caminhamos até o Parc de Bruxelles para aproveitá-lo melhor. É um belo parque bem em frente ao Palácio Real, arborizado e com uma fonte (vazia, porque fomos no inverno e você já conhece a maldição da baixa temporada. Não? Então confere aqui).

Do parque caminhamos até o Sablon e a Notre-Dame au Sablon, dos quais já falei no roteiro do primeiro dia, e subimos pela Rue de la Régence até o Palácio da Justiça (Law Courts of Brussels).

Palácio da Justiça (Law Courts of Brussels):

Infelizmente este lindo edifício estava em obras e só consegui uma foto lateral, mas fica em uma parte alta muito bonita da cidade.

Bem ao lado do Palácio da Justiça, descemos o elevador e caminhamos até a Grand Place para a despedida de Bruxelas e da Bélgica em grande estilo, num dos locais da cidade que mais gostei.

O que amei em Bruxelas e amo muito fazer: a possibilidade de conhecer muitos lugares à pé. E é nestas andanças, quando a cidade permite, que descobrimos coisas fora do script e nos deixamos levar conhecendo além do imaginário. Foram nestas que nos deparamos com esta pequena muralha, a Tour de Villers e com este relógio Le Carillon du Mont dês Arts.

Então, este foi nosso roteiro de 2 dias em Bruxelas. Ficamos 3 dias inteiros na Bélgica, mas tiramos um para fazer um bate-e-volta até Bruges. Aguarde o post deste pedacinho de perfeição que é Bruges, hehehe.

Onde nos hospedamos:

Neste post contei todos os detalhes do hotel onde nos hospedamos em Bruxelas pelas 4 noites que por lá ficamos. Foi uma ótima escolha. Aqui você consegue conferir as tarifas e também reservar este hotel.

No mais, coma batata frita belga, experimente o chocolate nas pequenas chocolaterias, não deixe de comer um waffle pelas ruas da cidade e caminhe, caminhe, caminhe e se encante como me encantei por este lindo lugar.

Onde se hospedar em Bruxelas:

Caso não queiras ficar no hotel onde nos hospedamos e do qual falei acima, fizemos uma seleção de hotéis (é só clicar aqui) ordenada pelas principais escolhas do site. Porém, logo no início, antes dos hotéis, podes escolher outros filtros como preço mais baixo primeiro, distância do centro da cidade, estrelas, e outros. Na coluna laranja à esquerda, preencha os campos com a data da entrada e da saída, o número de quartos, de adultos e crianças e clique em pesquisar. Só depois escolha o filtro que mais te agrada. Escolha teu hotel clicando nele e finalize a reserva. Qualquer dúvida, é só mandar nos comentários lá embaixo. Boa estada!

Credito este adorável roteiro do que fazer em Bruxelas em 2 dias à filha Ester. Ah, por falar na minha filha, você está sabendo que o Mapa na Mão está em guerra, não? É que nos separamos. Calma, nos separamos nestas férias. Você pode conferir aqui o que estou falando. No mais, acompanhe no nosso Instagram mais detalhes desta batalha. Ela pensa que está terminada porque já voltamos da Europa e ela ainda está na Tailândia, hahahahaha. Pois está só começando. Leia este e os demais posts que iremos publicar sobre nossa Eurotrip 2017 e também os posts dela sobre a Tailândia (por enquanto ela já postou este sobre aula de culinária tailandesa, e este sobre as primeiras impressões dela sobre Bangkok) e no final, deixe nos comentários quem venceu a peleja (torça pelo #timeeuropa, não querendo assim, persuadir ninguém, heheheheh).

Quer ajudar a manter o Mapa na Mão funcionando? É só usar os nossos links para planejar sua viagem! Você NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO e nós ganhamos uma pequena taxa, ajudando a manter nosso trabalho de pé! 🙂

Hotel ou apartamento: reserve o seu por este link no Booking.

Aluguel de carro: reserve no Rentalcars.

Seguro Viagem: faça o seu aqui e saiba tudo sobre seguro neste post.

Câmbio (compra de moeda): esta é uma novidade do blog. Através deste link, você pode encontrar a melhor cotação para a compra de moeda estrangeira. Confira!

E não fique por fora das novidades e promoções do Mapa na Mão:

  • Entra lá no Facebook, curta nossa página e convide amigos para curtir também: Mapa na Mão
  • Inscreva-se em nosso canal do YouTube: Mapa na Mão
  • Siga nosso Instagram: @mapanamao
  • E inscreva-se no nosso blog ali ao lado onde está escrito: ASSINE NOSSO BLOG

Você pode salvar este texto no seu Pinterest para futuras consultas, pinando a foto abaixo:

 

Aproveita e assista nossos 2 Vlogs em Bruxelas e se divirta, claro, apreciando a paisagem:

Michela.

22 comentários em “O que fazer em Bruxelas – roteiro de 2 dias

  1. Achei o roteiro excelente por Bruxelas, passa nos principais lugares da cidade. Eu tb acho o Manneken Pis bem basicão, mas eu acho que a gente deve ver ainda assim, afinal é um dos símbolos da cidade!

  2. Maldade você colocar esses waffles logo no início do post… fiquei pensando neles a leitura toda! Agora preciso achar uma dessas lojas. hahahah

    Adorei o roteiro! Mostra o principal para quem não tem tanto tempo na cidade. 😉

  3. Otimo post, Michela!
    Jà o favoritei, pois tenho planos de conhecer essa cidade!
    Queria muito ter ido para Bruxelas…. não sei se comentei anteriormente, mas desistimos por causa dos atentados que ocorreram naquela época (na Europa, meu marido tem cara de àrabe – rsrsrsrs).

  4. Já visitei Bruxelas e adorei, é uma cidade com tanto charme! Gostei muito de ler este roteiro (curiosamente também publiquei um no meu blog há uns tempos para dois dias na cidade!)

  5. Amei tudo! As dicas, o modo como vocês vão conduzindo o roteiro, as descrições dos lugares e as impressões que tiveram… a gente realmente já começa a viagem quando começa a ler. Muito bom!!

Oi! Tem alguma dúvida, sugestão, dica ou comentário, deixe aqui para nós e viajemos juntos!

%d blogueiros gostam disto: