Skip to main content
memorial jk em brasilia

Memorial JK – um misto de história, beleza, memória e organização

Juscelino Kubitschek concretizou a construção de Brasília e nada mais justo que um museu para homenageá-lo. O Memorial JK foi idealizado e construído por sua esposa, Sarah Kubitschek, e inaugurado em 1981, cinco anos após a morte do presidente. Inclua este memorial na lista de passeios na capital do Brasil e tenho certeza, não vais te arrepender.

Vamos passear comigo pelo museu?

Memorial JK:

O objetivo da construção deste museu foi perpetuar a história de vida do presidente da república Juscelino Kubitschek, mostrando sua trajetória política, bem como a memória da construção de Brasília. Localizado no ponto alto do eixo monumental (leia aqui como se localizar em Brasília), foi projetado por Oscar Niemeyer e construído no local onde foi celebrada a primeira missa na capital do Brasil.

Entrada do museu:

A entrada fica na parte de trás do museu. Ao passar pelo funcionário responsável pela venda dos ingressos, o visitante caminha por uma espécie de galeria com painéis que ilustram a história de JK. Nestas fotos vemos momentos da história política do presidente, cenas descontraídas da sua vida pessoal e também registros de construções por ele idealizadas. Há também uma maquete tátil do prédio do memorial e do seu entorno para pessoas com deficiência visual. Achei isso muito legal!

memorial jk
Galeria de entrada do Memorial JK

Hall:

Terminada a caminhada pela galeria de entrada do prédio, chegamos ao hall. Um espaçoso local com terminais de pesquisa touch screens que apresentam a história do presidente JK em português ou inglês. No chão, um tapete arraiolo oferecido por senhoras de Diamantina. Em uma das paredes, uma TV com gravações de JK e do urbanista Lúcio Costa, contando a história da construção de Brasília. Assista até o final, pois o vídeo tridimensional reconstitui a construção da capital.

memorial jk
TV no hall

Sala de metas:

O presidente JK possuía 5 grupos de metas definidas para o seu governo: energia, transporte, alimentação, indústria de base e educação. Nesta sala há fotos de obras que representam estas metas. Também há um retrato em tamanho natural do presidente pintado por Cândido Portinari em 1956, e a ampliação da carta escrita por JK em 1961, dirigida ao povo brasileiro em sua despedida do governo. Uma projeção em tamanho natural do próprio presidente apresenta aos visitantes estas metas que tinha como slogan “50 anos em 5”.

Biblioteca particular:

Aqui vemos a reprodução da biblioteca particular do antigo apartamento de JK no Rio de Janeiro, com variados livros, incluíndo obras escritas pelo próprio presidente e uma coleção de Shakespeare.

biblioteca memorial jk
Biblioteca

Gabinete de D. Sarah:

Nesta sala D. Sarah trabalhou desde a inauguração do Memorial JK e ali há projeção de vídeo contando a história da primeira dama, incluíndo seus trabalhos sociais. E hoje este ambiente é também utilizado para recepcionar autoridades que vêm visitar o local.

memorial jk
Gabinete de D. Sarah

Sala de pesquisa:

Nesta sala encontramos um acervo histórico completo sobre o período JK, com seus discursos, sua biografia, documentos sobre a construção de Brasília entre outros. Serve como instrumento de pesquisa e esta biblioteca foi ampliada graças a doações de enciclopédias e obras literárias.

Câmara mortuária:

No segundo piso e no centro do memorial, o visitante se depara com a câmara mortuária que recebe luz natural através de um vitral concebido por Marianne Peretti, que reflete tonalidades de cor de acordo com a posição do sol. No horário em que lá estávamos, a luz refletia um tom vermelho pelo local. O túmulo com os restos mortais do presidente Juscelino está ao centro.

Museu:

Também no segundo piso, o museu conta com fotos, placas, comendas, objetos pessoais de JK e sua esposa Sarah, terminais de pesquisa touch screens, telões e a casaca usada por JK no baile de posse em 1956 e réplica do vestido usado por Sarah na mesma ocasião.

 

memorial jk em brasilia
Trajes clássicos de D. Sarah

Café JK:

Novamente no térreo e junto ao hall está o Café JK que oferece o tradicional pão de queijo mineiro.

Souvenirs:

Na saída, ao final da visita, passamos pela loja de souvenirs com objetos que lembram o Memorial JK.

Ah, e não deixe de tirar belas fotos do lado de fora após terminar a visita, combinado?

Logo após a saída, monumento do Memorial

Informações úteis:

Horário de visitação:

De terça a domingo, das 9h às 18h

Valor do ingresso:

R$ 10 e meia-entrada para estudantes (leve seus documentos e carteirinha de estudante, caso tenhas) e idosos.

Acessibilidade:

O Memorial JK conta com rampa de acesso, banheiros adaptados e elevador para o 2º piso.

Estacionamento:

O museu conta com um amplo estacionamento para carros e ônibus, onde encontra-se também o último carro de JK: Ford Galaxie LTD, 1974.

Endereço:

Eixo Monumental – Lado Oeste Praça do Cruzeiro cep 70.070-300
Fone: (61) 3226-7860 / 3225-9451

Site

Onde se hospedar:

Em Brasília, durante as 6 noites que por lá ficamos, nos hospedamos no Allia Gran Hotel Brasília Suites, um hotel com ótimo custo benefício, muito bem localizado próximo a shoppings, lanchonetes e da antena de tv. Eu indico e podes fazer a reserva clicando aqui. Podes saber mais sobre este hotel clicando aqui. Agora, caso queiras escolher outro local para se hospedar, pesquise aqui e faça a tua reserva.

onde ficar em brasilia
Quarto de casal

Dica de local para jantar em Brasília:

Nós tivemos o prazer de conhecer o La Chaumière Cuisine Française, um restaurante Francês com pratos preparados pelos proprietários com temperos trazidos da França. Uma delícia de lugar aconchegante e onde terás o prazer de conhecer o simpático proprietário que lá está desde 1966. Falaremos tudo sobre o La Chaumière em um post próprio, aguarde. O restaurante fica na SCLS 408 Bloco A Loja 13 – Asa Sul – Brasília – DF.

Gostou deste post sobre o Memorial JK? Então não deixe de ler também:

Como se localizar em Brasília – o que eu achei da capital do Brasil

Visita guiada ao Palácio do Itamaraty – ganhou meu coração

Museu do Catetinho – história e simplicidade imperdível em Brasília

O que fazer em Brasília – nosso roteiro de 4 dias

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros – inexplicável

Agora que você já conhece um pouco mais de Brasília, quer nos ajudar a manter o Mapa na Mão funcionando? É só usar os nossos links para planejar sua viagem! Você NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO e nós ganhamos uma pequena taxa, ajudando a manter nosso trabalho de pé! 🙂

Hotel ou apartamento: reserve o seu por este link no Booking.

Aluguel de carro: reserve no Rentalcars.

Seguro Viagem: faça o seu aqui e saiba tudo sobre seguro neste postPreços ótimos – experiência própria.

Câmbio (compra de moeda): esta é uma novidade do blog. Através deste link, você pode encontrar a melhor cotação para a compra de moeda estrangeira. Confira!

E não fique por fora das novidades e promoções do Mapa na Mão:

  • Entra lá no Facebook, curta nossa página e convide amigos para curtir também: Mapa na Mão
  • Inscreva-se em nosso canal do YouTube: Mapa na Mão
  • Siga nosso Instagram: @mapanamao
  • E inscreva-se no nosso blog ali ao lado onde está escrito: ASSINE NOSSO BLOG

Abraço,

 

 

 

 

 

 

Você pode salvar este texto no seu Pinterest para futuras consultas, pinando a foto abaixo:

memorial jk em brasília museu

 

 

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

32 thoughts to “Memorial JK – um misto de história, beleza, memória e organização”

  1. Eu adoro Brasília e adoro o Memorial JK! Eu incluiria uma visita ao Memorial dos Povos Indígenas, que é ali bem pertinho! Andar por Brasília é se apaixonar pelas obras de arte do Niemeyer. Que maravilha!!!

    1. Essa é certamente uma das melhores dicas de passeio em Brasília, pois quando estive por lá, adoramos o memorial. Parabéns pela dica!

  2. Esse post é um tratado da história do Brasil. Muito bom. Para além de gostar de lugares históricos, também adoro a obra do genial Oscar Niemeyer, então são muitas razões para incluir o memorial numa futura visita.
    Abraço

    P.S. O conceito fez-me lembrar o memorial do Presidente Agostinho Neto, em Angola, onde existe também o seu mausoléu.

  3. Da última vez que estivemos em Brasília não conseguimos conhecer o Memorial JK. E agora vendo suas fotos e lendo seu relato deu mais vontade. Na próxima não escapa. Parabéns pelo post

  4. Um pedaço importante de nossa história preservada neste museu! Isso é excelente! Estive ai ainda na década de 80, mas lembro-me pouco, pois era muito criança. Além disso, percebo que mudou, melhorou com o passar dos anos, pois naquela época não existia por exemplo, terminais de consulta touch screen. 🙂 Um programa maravilhoso para conhecer um pouco mais da história brasileira, sem dúvida!

  5. Até hoje me lembro da primeira vez que conheci o Memorial JK, foi numa excursão da escola, acho que eu tinha uns 8 anos, eu fiquei impressionada com as coisas pessoais e o carro! É um dos museus mais legais que já conheci!

  6. Adorei o texto, que informações legais sobre o Memorial JK. Foi ler este post, pois tenho pensado em visitar Brasília, mas não sabia por onde começar e o que ver por lá, agora já tenho um norte. Obrigada por compartilhar.

Oi! Tem alguma dúvida, sugestão, dica ou comentário, deixe aqui para nós e viajemos juntos!

%d blogueiros gostam disto: