ASSESSORIA DE VIAGENS
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type

6 motivos para ir ao Chile de carro

publicado em: 20/09/2016 atualizado em: 31/10/2018


Indo pro Chile de carro
: você já fez essa viagem? Se ainda não, vou elencar 6 motivos para te convencer a prestigiar nosso continente e conhecer o Chile a partir da estrada. Mas antes de mais nada, tenho que te mostrar 12 perguntas e respostas que muitos fazem ao pensar em ir para a Argentina e para o Chile de carro, afinal, são tantas dúvidas quando a gente decide pôr os pés, melhor, as rodas nas estradas, não é mesmo? E ali respondemos 12 dúvidas. Confira!

Antes de te mostrar os motivos para correr e arrumar as malas e o carro, quero te convidar a assinar nossa newsletter e receber e-mails atualizados com todas as novidades e promoções do blog. Não quer mais receber? Simples, é só sair da lista a qualquer momento. Deixe seu e-mail no campo abaixo. Não compartilhamos seus dados com ninguém, pode ficar tranquilo.

Muito se escreve sobre viagens rodoviárias até os confins da América do Sul. Há centenas de dicas valiosas fornecidas por blogueiros e amantes do volante. Para os motociclistas, conhecer Ushuaia (Argentina), Deserto de Atacama (Chile) e cruzar a Cordilheira dos Andes é questão de honra. Ninguém, ninguém melhor do que eles oferece as melhores dicas sobre tudo o que há nas estradas argentinas e chilenas. Mas a razão para eu escrever este post é outra. Minha proposta é convencê-lo que ir até o Chile de carro vale à pena. Então, vamos aos motivos…

E porque não dar um pulo maior e ir até o fim do mundo? Não é no Chile, mas fica bem próximo da fronteira e também proporciona uma viagem de carro sensacional! Leia aqui dicas completas e o que fazer em Ushuaia.

1 – É diferente e prazeroso ir ao Chile de carro:

O argumento de que o avião está aí para encurtar tempo e distância não me serve. O avião cumpre muito bem seu papel e leva você do ponto A ao B com economia de tempo, dinheiro (sim, vamos admitir que muitas vezes as passagens aéreas são acessíveis) e segurança. Mas se é útil ao trabalho, há controvérsias quando se fala de lazer.

Não sei exatamente a razão, mas viajar de carro sempre me foi prazeroso. E não só para o Chile não. Traz sensações únicas e só quem pratica este exercício tem a exata ideia do que estou escrevendo.

Ah, quero te mostrar como foi nossa viagem para as cidades históricas de Minas, Chapada Diamantina e Trancoso na Bahia e também a recente que fizemos para Bonito, no MS, também de carro. Olha se não vale a pena!

Admito que as condições de nossas rodovias, trânsito pesado e o entupimento de artérias rodoviárias trazem seus dissabores. Lembro-me da primeira vez que, indo pro Chile, calculei muito mal a hora de cruzar o Paso Los Libertadores. Em pleno mês de janeiro, olhe só a fila em que me meti:

Mas se mesmo assim ainda valeu a pena? Ô, e como!

2 – Oportunidade de conhecer locais incríveis pelo caminho e outros onde só o carro pode te levar:

O verão argentino é quente, muito quente. O bafão de suas planícies faz você questionar a razão de estar ali, se afastando das belas praias brasileiras e no sentido oposto ao movimento migratório. Mas esse não é o seu objetivo e, claro, vencer as agruras do calorão longe do oceano só pode mostrar algum sentido mais adiante, quando você alcançar Mendoza. Essa bela cidade vizinha à Cordilheira dos Andes encanta pelo seu verde, largas avenidas, parques e canaletas de irrigação. Foi, de pronto, eleita (por mim) a mais bela cidade argentina, superando Buenos Aires.

Mendoza pode servir de base para conhecer a Cordilheira dos Andes e também o mirante do Aconcágua. É na cidade, inclusive, que há agências de turismo especializadas em trilhas do Aconcágua. E, assim como nós, caso você decida dormir por lá para aproveitar pontos de interesse próximos e mesmo a cidade em si, dê uma olhada nas opções de hospedagem aqui

Há beleza por todos os cantos. No verão, o Cristo Redentor dos Andes é o ponto mais alto onde se pode ir motorizado. Ali sente-se o mal da montanha e o que realmente é o tal ar rarefeito. Há vinícolas do lado argentino e chileno e conhecer Viña del Mar, à margem do Oceano Pacífico, é roteiro obrigatório indo pro Chile.

E você já ouviu falar de Cajón Del Maipo? Ainda não conheço, mas a Débora do blog Foco no Mundo foi e parece incrível! Clique ali e confira. É mais um lugar possível de se conhecer nesta viagem de carro. Fica a dica.

E do Valle Nevado e Farellones, bem perto de Santiago? Estas duas atrações são demais e indico! Dá uma olhada ali nas dicas do blog o melhor do Chile.

3 – Por que não dar um pulinho logo ali, na Argentina também?

Descer pela Rodovia Panamericana até Osorno, no Chile, é um convite. Em janeiro de 2010 eu fiz isso e nessa latitude cruzei a fronteira para voltar à Argentina e me aproximar de Bariloche. Eu sei, Bariloche combina com baixas temperaturas, mas eu estava na Patagônia Argentina e não iria perder a oportunidade de dar um pulinho até lá. E quer saber? Bariloche é linda em qualquer estação do ano, logo, valeu a pena.

Clique aqui e veja opções de hotéis em Bariloche

4 – Paisagens, paisagens e mais paisagens para guardar na memória:

Foi de tanto gostar que retornei ao Chile de carro no inverno de 2012. Enfrentei baixas temperaturas já em Mendoza e vi meu carro tomado pela geada em pleno centro da cidade às 9h da manhã. Ao cruzar a Cordilheira, buscando a capital Chilena, decepcionei-me com o nude dos caracoles chilenos, em pleno mês de julho:

Aliás, o inverno de 2012 e suas altas temperaturas deixaram a Cordilheira dos Andes sem sua cor mais bonita, o branco, a ponto de eu dispensar o porte de las cadenas (correntes instaladas nas rodas para vencer o gelo nas estradas). Em Santiago, o frio potencializou a já bela capital e turistas chegavam de toda parte em busca de esportes de inverno. Santiago tem dessas coisas.

Mas vou confessar: mesmo sem a neve nas Cordilheiras, a estrada do caracol no Chile encantou, principalmente a vista de cima.

Na viagem de retorno ao Brasil, novamente a Cordilheira mostrava muito pouco de neve. Não nego o tantinho de desapontamento. Três dias de viagem na clausura do carro para enfrentar só isso de frio? Perguntei a mim mesmo. E a neve, onde está ela? Não teve jeito. O inverno de 2012 me pregou uma peça e tive de contentar-me com outras maravilhas.

Mas com ou sem neve, é fato que conhecer Santiago (Chile) e Mendoza (Argentina) de carro é fantástico. Em uma conta meio modesta, são seis dias só de viagem (três de ida e três de volta), partindo aqui do Sul de Santa Catarina, para vencer cerca de cinco mil e setecentos quilômetros de viagem. É chão para valer!

5 – É descomplicado:

A viagem não exige grandes preparativos. Basta estar com o veículo em ordem, contratar o seguro exigido para rodar pelas estradas uruguaias, argentinas e chilenas, portar dois triângulos de advertência (os carros brasileiros só possuem um) e, dependendo dos seus planos, fazer as reservas do hotel para não ficar perdendo tempo nas grandes cidades (e podes reservar hotéis aqui pelo Booking de maneira fácil, rápida e com várias opções de preços). Nem mesmo o passaporte é exigido. Basta ter carteira de identidade (RG) em ordem, que é emitida pela Secretaria de Segurança Pública em cada Estado, e ter o veículo em seu nome. Se o carro estiver com alienação fiduciária ou em nome de terceiro, exige-se a autorização do proprietário, com reconhecimento de firma. Antes de viajar certifique-se se não é necessário obter a autenticação ou reconhecimento de firma da autorização do proprietário com a autoridade consular daqueles países.

6 – Indo para o Chile, fuja do convencional:

Portanto, na próxima vez que discutir suas férias com a família, cogite uma viagem de carro pela América do Sul. Pense na hipótese de conhecer o fantástico Deserto do Atacama (Chile), as trilhas de Machu Picchu (Peru) ou a longínqua Ushuaia (Argentina). Se isso é muito, pense em algo mais light e se contente com a capital chilena. Serão dias cansativos, é verdade, mas o prazer virá na mesma escala.

Agora que você está morrendo de vontade de ir de carro até lá, não pode deixar de ler este post com 12 perguntas e respostas  sobre como viajar para a Argentina e o Chile de carro. Se ficar qualquer dúvida, deixe ali abaixo nos comentários que terei o prazer de ajudar, claro, se eu souber.

Onde se hospedar em Santiago e Mendoza:

Mendoza:

Santiago:

Outras opções de hospedagem:

Para quem está indo pro Chile, fizemos uma seleção de hotéis em Santiago (é só clicar aqui) e também em Mendoza (clique) ordenada pelas principais escolhas do site. Porém, logo no início, antes dos hotéis, você pode escolher outros filtros como preço mais baixo primeiro, distância do centro da cidade, estrelas, e outros. Na coluna laranja à esquerda, preencha os campos com a data da entrada e da saída, o número de quartos, de adultos e crianças e clique em pesquisar. Só depois escolha o filtro que mais agrada você. Escolha o seu hotel clicando nele e finalize a reserva. E use esta mesma pesquisa para qualquer outra cidade da sua viagem. Qualquer dúvida, é só mandar nos comentários lá embaixo. Boa estada!

E já que estás indo para o Chile, de carro ou de qualquer outra forma, te convido a conhecer um destino que está no radar Mapa na Mão já faz tempo, de verdade, sonho em ir para lá. Onde? O Deserto do Atacama. Não, sério, de verdade, veja as fotos e o post da Silvia do blog Suas Próximas Viagens e me conta se não é um lugar a se colocar na lista de desejos.

Seguro Viagem:

Para o carro, são exigidos os seguros Carta Verde na Argentina e no Uruguai, e Soapex no Chile. O seguro viagem para o caso de doença, emergência médica, dentária, hospitalar, acidente e outras, não é exigido. No entanto, já ouvi relato de pessoas que tiveram que fazer uma cirurgia de emergência, por exemplo, no exterior, que custaria milhares de reais. Assim, caso você se sinta mais tranquilo, indico fazer um seguro viagem que nem é tão caro assim.

Neste post escrevemos tudo sobre seguro viagem – como fazer, porquê fazer, etc. Vou deixar dois links abaixo para você dar uma olhada. Ambas as empresas fazem cotações em várias seguradoras e você pode escolher a cobertura que mais agrada, além, claro, do preço que cabe no bolso. E por experiência própria, há opções com preços bem interessantes. Cote, escolha e faça o seguro para viajar com tranquilidade e com a certeza de que caso ocorra qualquer zebra, você e não ficará desamparado lá longe.

Ah, olha só, no Seguros Promo, caso seja mais interessante o seguro escolhido, utilize o cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto.

Pesquise aqui com a Real Seguros Aqui com a Seguros Promo

Chip de internet ilimitada:

Nós utilizamos este chip da Easysim4U nas últimas viagens que fizemos para o exterior, e funcionou muito bem. Quer saber todos os detalhes? Leia aqui o que escrevi sobre chip de internet ilimitada para usar fora do Brasil, e decida se vale ou não a pena.

Distância entre cidades:

Como estamos falando do Chile, mas também uma ótima pedida é ir até a Argentina, também de carro, vou deixar aqui abaixo a distância entre cidades, ou melhor, algumas capitais do Brasil e Buenos Aires e Santiago:

  • Distância entre Porto Alegre e Buenos Aires: 1300 km – e Santiago: 2350 km;
  • Distância entre Florianópolis e Buenos Aires: 1750 km – e Santiago: 2800 km;
  • Distância entre Curitiba e Buenos Aires: 1817 km – e Santiago: 2860 km;
  • Distância de São Paulo a Buenos Aires: 2234 km – e Santiago: 3278 km;
  • Distância entre o Rio de Janeiro e Buenos Aires: 2670 km – e Santiago: 3714 km;
  • Distância entre Vitório (ES) e Buenos Aires: 3180 km – e Santiago: 4220 km;
  • Distância entre Belo Horizonte e Buenos Aires: 2817 km – e Santiago: 3809 km;
  • Distância entre Campo Grande e Buenos Aires: 1986 km – e Santiago: 2870 km;
  • Distância entre Brasília e Buenos Aires: 2839 km – e Santiago: 3880 km;
  • Distância entre Salvador e Buenos Aires: 4080 km – e Santiago: 5120 km.

Claro que a distância pode variar, dependendo da rota escolhida, mas apenas descrevi uma média para termos ideia. Coloquei algumas distâncias entre cidades, mas caso queiras traçar a sua rota, acesse o Google Maps e dê uma olhada em rotas.


Monte as tuas viagens aqui:

Poderia ainda passar uma infinidade de motivos, mas por enquanto, deixo estes e espero ter aguçado a tua vontade. E agora que já tens 6 motivos e está indo pro Chile de carro, quer ajudar a manter o Mapa na Mão funcionando? É só usar os nossos links para a tua viagem! NÃO PAGARÁS NADA A MAIS POR ISSO e nós ganhamos uma pequena taxa, ajudando a manter nosso trabalho de pé! 

Hotel ou apartamento:
Reserve aqui pelo Booking

Aluguel de carro:
Busque aqui com a Rentcars
O site irá buscar os melhores preços em diversas locadoras, o que é muito legal.

Seguro Viagem:
Pesquise aqui com a Real Seguros Aqui com a Seguros Promo
Olha só, com a Seguros Promo, utilize o cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto. É legal cotar nas duas empresas para escolher o melhor. Ah, e por experiência própria, os valores destes dois sites geralmente são melhores que de agências, isso porque eles cotam em várias seguradoras. Ficou com alguma dúvida? Clique e leia aqui tudo sobre seguro viagem.

Chip para celular:
Adquira o teu chip aqui
Chegue tranquilo com o celular funcionando no teu destino. Comprando por este link ali do Mapa na Mão, é só incluir o código de cupom RBBVGRATIS e não vais pagar frete! Queres saber se vale a pena ou não sair do Brasil com chip? Leia aqui tudo sobre o chip internacional da Easysim4U.

Passeios e atrações pelo mundo afora:
GYG - várias atrações no mundo Tiqets - várias atrações no mundo Touron pelo Brasil
Compre antes da viagem para evitar filas e surpresas no orçamento.

Câmbio (compra de moeda):
Verifique a cotação aqui
Faça uma proposta para a agência de câmbio da tua cidade. Além de comprar moeda com valores melhores, no final da negociação vais receber um email com cupons de desconto para alguns produtos.

Passagens aéreas:
Várias cias aéreas no Passagens Promo

Ah, olha só, siga nossas redes sociais lá no rodapé do post e acompanhe tudo o que fazemos por aí.

Você pode salvar este texto no seu Pinterest para consultar quando estiver indo pro Chile de carro, pinando a foto abaixo:

Já pensou em ir até o Chile de carro? Saiba 6 motivos para ir e não se arrepender. E se você já está indo pro Chile, saiba aqui como se preparar.

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Curtidas

26 respostas para “6 motivos para ir ao Chile de carro”

  1. Guilherme Cabral da Silva disse:

    Boa Tarde Dilamar.

    Gostei muito do post.
    Pretendo fazer um roteiro de 30 dias na estrada com minha esposa.
    O nosso sonho é sair do RJ e ir ao Chile no nosso carrinho (Um Jimny verde). Atravessar a cordilheira e chegar a Santiago. Depois ir subindo até o Atacama. Se der tempo ir ao Uyuni.
    Planos para setembro de 2019.
    Achei muito legal a página de vocês, e se puderem dar dicas seria muito bom.

    • Mapa na mão disse:

      Olá, Guilherme.

      É um prazer para nós contribuir com sugestões na sua viagem.

      Então, você e sua esposa me parecem querer uma aventura. Estou certo? 30 dias fora de casa, indo de carro até o Chile… Que legal.

      Deixe-me, então, fazer algumas sugestões. Não necessariamente devem ser seguidas, mas valem para a reflexão de caminhos que poderão tomar.

      Guilherme, você está no Rio de Janeiro. Já pensou em “subir” até o Acre e de lá pegar a Rodovia Interoceânica, chegar até o Oceano Pacífico no Peru e ali “descer” para o Chile? A Rodovia, ao que eu sei, é toda asfaltada e de qualidade.

      Acredito que em 30 dias você consegue chegar aos seus objetivos: Yyuni, Atacama e Santiago (não deixe de botar Mendoza na lista).

      Se essa alternativa é descartada, outra opção é seguir pelo Paso de Jama, após passar por Salta, na Argentina (um bom lugar de se conhecer). A travessia, porém, é feita por estrada de terra e, dependendo do que você e sua esposa esperam, pode se tornar cansativa.

      Já que passará pelo sul de Santa Catarina, não deixe de conhecer um pouco das belezas de nosso Estado. Praias, cachoeiras, serras, estradas, montanhas, cânions, enfim, temos de tudo por aqui. Conte-nos do que você mais gosta que nós fazemos algumas indicações para você e sua esposa. Estou seguro que gostarão muito, mas muito mesmo.

      Por fim, sua viagem ainda tem bastante tempo para ser planejada.

      Você poderá contar conosco para receber mais dicas. Escreva-nos e diga algo mais do que desejaria visitar.

      E ajude-nos a manter o blog de pé. Basta fazer a reserva de seus hotéis pelo link do Booking.com que temos aqui na página do Mapa na Mão. Não se preocupe, pois você NÃO pagará mais caro por isso. Ainda que você procure hospedagens simples e de baixo custo, procure fazer aqui pelo Mapa na Mão. É um jeito simples e gratuito de ajudar o blog.

      E já que ficará 30 dias viajando por aí, não deixe de fazer o seguro viagem. Temos um link aqui no blog que busca as melhores cotações.

      Aguardamos seu retorno.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão

      Dila Nunes

    • Cintia disse:

      Olá. Eu estou indo ao chile este ano,mas no meu caso,uma pessoa que já é do Chile,virá de carro me buscar.A pessoa é natural de lá,mora em Santiago,creio que nao terei muitas despesas, pois ficarei na casa dela. Mas tenho intençao de morar la,a convite mesmo da pessoa,gostaria de saber como proceder neste caso? Grata.

      • Mapa na mão disse:

        Cíntia, bom dia.

        As notícias que temos do Chile e mesmo lendo jornais sobre aquele país é que se trata de uma das nações mais desenvolvidas da América do Sul. O Chile tem crescimento econômico significativo, uma bela capital e paisagens turísticas ímpares.

        Entretanto, a imigração será de acordo com as regras daquele país. Sugiro a você que procure o departamento de imigração em Santiago para informar-se quais requisitos serão necessários para você obter o visto de residência.

        Também acredito que você consiga ajuda em blogs de brasileiros que foram morar no Chile. Há alguns com boas informações. O Melhor Mês do Ano é um. Acredito que isso irá lhe ajudar.

        Felicidades e sucesso no seu novo lar.

        Saudações quilométricas, do Mapa na Mão!

  2. Valmir da silva disse:

    Eu e minha esposa Estamos pensando em sair de Curitiba de carro passar por santa Catarina Rio grande do sul e entrar no Uruguai. Do Uruguai para Argentina a travessia de colônia Sacramento até Buenos Aires é seguro tem algum perigo e quais os valores ou é vantajoso dar a volta por cima pra chegar até Buenos Aires. O tíquete para travessia de balsa é melhor comprar na hora ou comprar pela internet? Ja q o Chile não faz parte dos países do Mercosul tenho que ter um seguro igual esse carta verde ou lá eles não exigem?

    • Mapa na mão disse:

      Valmir… um milhão de desculpas pela demora.

      Acredite, o Mapa na Mão esteve viajando muito agora no fim de 2018 e início de 2019. Fomos a São Francisco do Sul, festas de fim de ano e agora no início de 2019 rodamos por Alemanha, França, Itália, Hungria e Eslovênia. Acredite, isso tomou nosso tempo e, infelizmente, faltou a devida atenção aos nossos leitores.

      Vou tentar me redimir com você e dar uma atenção especial às suas necessidades, se é que isso ainda é possível.

      Vamos lá.

      Não sei ao certo os valores do buquebus (a empresa que faz a ligação entre Colônia do Sacramento e Buenos Aires).

      Mas a travessia é relativamente rápida e confortável. No entanto, o preço é absurdamente caro e, nos dias atuais, eu não faria novamente a travessia. Preferiria rodar alguns quilômetros a mais para chegar a ou sair de Buenos Aires.

      No site da buquebus (https://www.buquebus.com/?from=AR) você encontrará informações de preço e horários. Eu, particularmente, escolheria (e correria o risco) de comprar na hora. Não faria a compra antecipada.

      Já quanto ao Chile, há o seguro soapex. No post nós explicamos como adquiri-lo. É um seguro adicional à carta verde e deve ser proporcional ao número de dias que você ficará no Chile. Informe-se com seu corretor antes para ver se a apólice de seguro de seu veículo já não dispõe desta cobertura.

      Precisando de mais alguma informação, escreva-nos.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

  3. Mario disse:

    Boa tarde benção! Olha só, meu nome éMario Cesar quero sair de Florianópolis de carro em julho de 2019. Eu minha esposa e meu filho de oito anos. Meu carro é um fod ka 1.5 ótimo carro e novo, quero passar por mendoza é isso..? E cortar as cordilheira. Por gentileza poderia me passar um roteiro.? Obrigada desde já.

    • Mapa na mão disse:

      Olá, Mário.

      Primeiro, peço a você um milhão de desculpas pelo atraso na resposta. O Mapa na Mão esteve viajando em dezembro por São Francisco do Sul e agora em janeiro estivemos rodamos por Alemanha, França, Hungria, Itália e Eslovênia.

      Faltou-nos tempo para responder aos questionamentos de nossos leitores. Mais uma vez, nossos sinceros pedidos de desculpas.

      Vamos lá.

      Sua viagem só não é possível como será fantástica. Você está em Rondônia e está ao lado do Acre, facilitando o acesso pela Rodovia Interoceânica. Uma boa pedida é chegar ao Chile a partir do Acre, conhecer o Peru e só depois “descer” até Santiago ou a mesmo a Patagônia Chilena. De Santiago, cruza-se a fronteira em direção à Argentina e depois “sobe-se” o Brasil até seu estado natal, Rondônia.

      Você não precisará de visto e, de fato, basta fazer o registro de ingresso de seu veículo nas respectivas aduanas por onde passar.

      Seu projeto é fantástico e não deixe de executá-lo!

      Por fim, se fizer reservas de hotéis, ajude o blog e faça as reservas aqui pelo link que temos aqui na página do Mapa na Mão (https://www.booking.com/index.html?aid=962522).

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Precisando, escreva-nos.

      Dila Nunes

  4. Mario Augusto da Silva disse:

    Oi gente boa, gostei das experiencias de passeio realizadas por vocês! tenho vontade de conhecer o chile. Moro em Rondônia e aproveitando as experiências de vocês, será que daria para passar pelo
    Acre e Peru e sair em santiago? seria mais difícil o não. Outra coisa! pelo acordo do Mercosul não é preciso pegar visto de consulado, só registrar nas fronteira a entrada do veículo e da pessoa, é isso?

    • Mapa na mão disse:

      Mário, obrigado pelo contato com o blog.

      Primeiro, um milhão de desculpas pela demora em responder-lhe. O blog esteve viajando em dezembro e janeiro, o que exigiu preparação e muito tempo. Infelizmente, alguns de nossos leitores foram atingidos diretamente, dada a demora em responder. Mais uma vez, peço minhas sinceras desculpas.

      Vou tentar ajudá-lo.

      Parabéns pela escolha. Você fará uma ótima viagem com sua família. A viagem até Santiago via Mendoza tem roteiro simples e sem complicações. Nada de estrada de chão ou de passar por grandes cidades.

      Não vejo problemas com seu carro para viajar, pois não há estradas de chão na sua proposta. Seu carro servirá perfeitamente ao seu propósito, mas tenha em perspectiva que julho neva com frequência na Cordilheira dos Andes, o que exigirá, no mínimo, o porte de correntes ou o uso delas, se necessário for.

      Quanto ao trajeto, basicamente você sairá por Santana do Livramento ou Uruguaiana (eu prefiro a primeira cidade) e dali em diante trace uma linha até Mendoza.

      Podemos fazer um roteiro detalhado para você envolvendo a parte rodoviária e das cidades visitadas, o que reduzirá o estresse e tempo. Mas pelo roteiro detalhado cobraremos.

      Uma alternativa é fazer a reserva de hotéis conosco (link do booking que temos aqui no blog: https://www.booking.com/index.html?aid=962522). Feitas as reservas de hoteis por esse link (você NÃO pagará mais caro por isso, podemos reduzir o custo do roteiro personalizado), podemos conversar em reduzir o custo do roteiro.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes.

  5. WILSON RICARDO PEIXOTO disse:

    E AI MEU BOM BLZ?
    DILAMAR MUITO BOM ESSE BLOG
    TO PRETENDENDO FAZER ESSA VIAGEM COM D.MIRIAN DONA DA PENSÃO …E TENHO UNS BOCADOS DE DUVIDAS, SE VOCE TIVER PACIENCIA DE RESPONDE-LAS AGRADEÇO….LENDO SEU POST A RESPEITO DO CARRO, VOU ALUGAR UM CARRO (PENSO QUE FICARA MAIS EM CONTA) …MAS COMO VC DISSE TEM QUE ESTAR NO SEU NOME OU AUTORIZAÇÃO DO PROPRIETÁRIO NESTE CASO COMO DEVO PROCEDER? OU ESTOU EM DIADEMA – SAO PAULO VC DEU UMA DICA PARA O COLEGA GUILHERME PARA SUBIR ATE O ACRE …SERVERIA PRA MIM TAMBEM POR QUE AI JA CONHEÇO ESSES ESTADOS TAMBEM RSRSRS…JA CONHEÇO BA/MG/SC/PR/GO/RJ/ES POR QUE NÃO O ACRE? RSRS BOM ENFIM TALVES PELO SUL SAIRIA MAIS EM CONTA…O QUE VOCE ACHA? QUANTO VOCE ACHA QUE VOU GASTAR NESSA VIAGEM? UNS R$ 10.000,00? SE VOCE PODER ME AJUDAR FICAREI MUITO CONTENTE POR QUE SÓ PELAS SUAS FOTOS E DICAS JÁ DA VONTADE DE PEGAR UMA ESTRADA…E VENDO OS VIDEOS NO YOUTUBE E EMOCIONANTE, VOCE TEM CANAL NO YOUTUBE? BOM ABRAÇOS E ESPERO SUA RESPOSTA ANCIOSAMENTE , OBRIGADO MEU BOM!

    • Mapa na mão disse:

      Caro Wilson, para nós é um prazer conversar contigo e ajudar você e sua viagem!

      Primeiro, minhas sinceras desculpas pelo atraso na resposta. A correria de fim de ano me derrubou…. Além disso, o Mapa na Mão esteve em São Francisco do Sul agora no mês de dezembro e estamos nos preparando para uma nova viagem, agora no exterior, em janeiro. Mas vamos ao que interessa!

      Wilson, são vários questionamentos. Vou tentar responder a maioria, mas acredito que nem tudo estará esclarecido, pois algumas definições exatas do que será feito são indispensáveis para o passo seguinte.

      Mantenha o contato conosco aqui no Mapa na Mão. Ajudaremos o máximo possível, dentro de nossas limitações.

      Primeiro, a viagem familiar. Você levará a esposa (a Dona Mirian), certo? Então, nada de colocá-la em apuros ou cansaço excessivo. Conceba sua viagem de modo que sua esposa queira novamente repeti-la para novos rumos. Isso é muito importante.

      Segundo, o carro. Você falou em alugar o carro… hummm. Bom, você irá alugar o carro no Brasil? Não aconselho a fazer isso, sairá muito caro, possivelmente. Você pode estar na Argentina e alugar o carro para ir ao Chile. Ou vice-versa. Mas do Brasil até Chile/Argentina, creio que não compensa. As locadoras não gostam muito dessa parada, principalmente por limitações impostas pelas seguradoras.

      Agora, a ideia é sua! Se você quiser levar adiante, procure uma locadora nacional de grande porte e converse diretamente com eles sobre o projeto de rodar com o carro até o Chile. Certamente irão lhe esclarecer quais formalidades terão de tomar, claro, desde que isso seja permitido.

      Terceiro, o carro de novo. Suponho agora que você tenha decidido ir com seu veículo particular, que casualmente não está em seu nome (ou está no nome de uma empresa do qual você é sócio, por exemplo). Sim, há formalidades a cumprir e, nesse caso, alguns procedimentos são necessários. Depois de tanto usar o telefone, pesquisar, consultar e conversar, o Mapa na Mão já obteve algumas boas respostas e indicativos do que fazer. Alguns documentos já estão indicados no post que escrevemos e, se quiser um tutorial mais detalhado, fale conosco e cobraremos uma colaboração de R$ 40,00 (quarenta reais) para auxiliá-lo.

      Quarto, o roteiro. A “subida” até o Acre é uma das opções. Talvez não seja o roteiro mais light do caminho, mas é uma boa e interessante opção. Mas tenha em perspectiva que sua viagem, se passar pela rota interoceânica (Acre até o Chile), será consideravelmente longa e custosa ($$$), por conta da distância e do tempo necessário para cumpri-la. A interoceânica leva você ao norte do Chile e a lugares em destaque (Atacama, em especial). Se há limitação de recursos, procure o trajeto mais simples e que leve menos tempo para fazê-lo, o que implica seguir até Mendoza e, depois, Santiago. Esteja certo que o passeio será incrível.

      Quinto, o custo. Shiiiii que conversa difícil, amigo. Duas pessoas, com hotéis relativamente confortáveis, café da manhã e um carro que faça, no mínimo, 12km/l de média, acho que dez mil reais você consegue fazer uma boa viagem. Mas desde que faça, no mínimo, cerca de 900 ou 1000 km por dia, o que não é nenhum exagero. Muito dependerá de sua gastança. Vai trazer muitos presentes? Vai querer ficar em hotel 5 estrelas? Irá a restaurantes caros? Se as respostas são todas positivas, então prepare o bolso. Caso contrário, acho que você consegue fazer uma viagem aprazível com os dez mil sugeridos.

      Você poderá contar conosco para receber mais dicas. Escreva-nos e diga algo mais que desejaria visitar ou precisa saber.

      Por fim, ajude-nos a manter o blog de pé. Basta fazer a reserva de seus hotéis pelo link do Booking.com que temos aqui na página do Mapa na Mão (https://www.booking.com/index.html?aid=962522).

      Não se preocupe, pois você NÃO pagará mais caro por isso. Ainda que você procure hospedagens simples e de baixo custo, procure fazer aqui pelo Mapa na Mão. É um jeito simples e gratuito de ajudar o blog.

      Se viajar, não deixe de fazer o seguro viagem. Temos um link aqui no blog que busca as melhores cotações.

      Aguardamos seu retorno e ficamos à disposição para auxiliar.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

  6. Débora disse:

    Olá! Boa tarde
    Irei viajar para Mendoza, Santiago, Valparaíso, Viña del Mar e Atacama daqui a 15 dias de carro saindo daqui do Rio Grande do Sul. Uma das minhas maiores preocupações é em relação ao estacionamento do carro. Como vocês fizeram? onde estacionaram o carro em santiago?

    • Mapa na mão disse:

      Olá, Débora.

      Desculpe-me pela demora, pois o final do ano aqui foi muito corrido.

      O Mapa na Mão é vizinho ao Estado do Rio Grande do Sul.

      Mas vamos ao que interessa.

      Tenha em mente que Santiago é uma cidade grande, mas seu trânsito não é tãããããoooo desorganizado quanto nas cidades brasileiras. Não espere dirigir no trânsito ideal, mas acho mais tranquilo dirigir em Santiago do que dirigir em Porto Alegre!

      Quanto aos estacionamentos, seu hotel possivelmente indicará a você um local para deixar seu carro. Mas como se trata de cidade grande, você certamente pagará por isso.

      Durante o dia, nos passeios, nem sempre é bom sair de carro. Em alguns locais menos afastados, lembro-me de ter usado o metrô e deixado o carro no hotel.

      Na Avenida Libertador Bernardo O’Higgins, no coração de Santiago, lembro-me dos estacionamentos subterrâneos, de facílimo acesso, onde eu estacionei meu carro algumas vezes. Você verá o acesso na pista mais próxima do canteiro central.

      No mais, em vários pontos turísticos (ou de interesse) você encontrará estacionamentos. No Shopping Center Patio Bellavista (não deixe visitá-lo à noite) também há estacionamento.

      Curta a viagem e não tenha medo.

      Por fim. Peço-lhe a gentileza de contribuir com o blog. Basta fazer as reservas de seus hotéis pelo link do Booking.com que temos aqui na página do Mapa na Mão (https://www.booking.com/index.html?aid=962522).

      Não se preocupe, pois você NÃO pagará mais caro por isso. Ainda que você procure hospedagens simples e de baixo custo, procure fazer aqui pelo Mapa na Mão. É um jeito simples e gratuito de ajudar o blog.

      Espero ter ajudado.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

  7. Doni Camargo disse:

    Dilamar, boa tarde,
    Estou planejando ir até Santiago, Valparaiso, lógicamente parando 2/3 dias em Mendoza, e depois descer até o Parque Nacional Puyehue, entrando em Bariloche, e voltando por Buenos Aires, Montevidéu e subindo pelo sul, até Taubaté/SP, que é o nosso ponto de partida. Minha dúvida, qual a melhor época para a viagem, fugindo da alta temporada e do frio? Meu carro é uma Spin, aguenta o tranco? Irei com minha esposa, os filhos (2) ainda não sabem se vão.

    • Mapa na mão disse:

      Olá Doni, como vai?

      Primeiro, minhas sinceras desculpas pelo atraso na resposta. Ninguém é de ferro agora no fim do ano. A correria me derrubou…. Além disso, o Mapa na Mão esteve em São Francisco do Sul agora no mês de dezembro, o que acabou sobrecarregando a agenda. Taí um lugar legal para conheceres com a família. Acompanhe o que estamos escrevendo sobre São Francisco do Sul nos últimos dias.

      Mas vamos ao que interessa!

      É um prazer para nós contribuir com sugestões na sua viagem.

      Bom, você já tem algumas definições, o que facilita o projeto e a programação da viagem. Fugir da alta temporada e do frio dá o contorno da sua ideia.

      Primeiro, o carro. A Spin é uma van ou minivan, sabemos. Tem espaço de sobra para a família e bagagens. Você sem dúvida estará bem servido e poderá ir tranquilamente até o Sul do Chile e Argentina. Eu, para que você tenha ideias, fui com um Honda civic e não enfrentei qualquer problema.

      Mas evite estradas de chão. Seja qual for a época, se desejar subir até a base de algum vulcão, com terra úmida só 4 x 4 para vencer. Nesse caso, contrate o passeio com alguma agência local.

      Muitos perguntam: é a neve? Vou precisar de um 4 x 4? Não, definitivamente, a menos que seu trajeto envolva estrada de chão. Estradas não pavimentadas desconhecidas são um livro aberto, ninguém sabe o que vem pela frente, principalmente em regiões frias e com tempo instável, comum na região patagônica.

      Nem para subir a Cordilheira entre Mendoza e Santiago? Não. O máximo que irá precisar é de correntes nas rodas.

      Releia os dois posts que escrevi sobre a viagem de carro ao Chile e verá que ali há indicações de correntes para locação no lado argentino.

      Segundo, a época. Considere os meses de dezembro, janeiro, fevereiro, julho e agosto como alta temporada. As fronteiras estarão possivelmente lotadas nesses meses. Hotéis caros, lotados, parques, pontos de interesse, enfim, muita gente entupindo os acessos.

      Terceiro, o clima. Vamos lá. Isso é mais difícil de escapar. Considere que maio, junho, julho, agosto e setembro são meses tradicionalmente frios em Santiago. E, quanto mais ao sul, pior fica a coisa. Então, nos sobra março, abril, outubro e novembro (talvez dezembro).

      Nesses quatro meses remanescentes você sentirá menos frio em Santiago (e também no sul do Chile e Argentina), mas na alta montanha (ao atravessar a Cordilheira) você enfrentará baixas temperaturas. Não duvide que a neve possa estar presentes nesses meses. Para que você tenha ideia, eu tive o prazer de ver alguns minúsculos flocos de neve em pleno mês de janeiro, obviamente nada que tenha acumulado ou atrapalhado nossa viagem no alto da Cordilheira. Mas lá é frio, tenha isso em perspectiva.

      Quarto, a viagem familiar. Não vejo problema algum em levar os filhos. Aqui em casa nossa tropa vai sempre conosco (nossas duas filhas, hoje já adultas). Desde pequenas, Letícia e Ester gostavam de viajar, mesmo que para isso fosse necessário enfrentar horas e mais horas dentro do carro. Olha, ninguém hoje reclama, todos adoram viajar. Claro, faça os preparativos. Já escrevemos sobre isso aqui no Mapa na Mão. Não deixe de ler: https://mapanamao.com.br/viajar-com-criancas-dicas/.

      No mais, deixo a você alguns lembretes de acessórios e cuidados:

      . Dois triângulos (no Brasil apenas um é exigido).
      . Kit de primeiros socorros.
      . Extintor de incêndio de fácil acesso (no Brasil, foi dispensado recentemente).
      . Ao atravessar a Cordilheira dos Andes serão necessárias as correntes para serem instaladas nas rodas. Vocês podem alugar uma em Uspallata (Argentina), que fica após Mendoza. Há post do Mapa na Mão que tratamos desse assunto.
      . Cintos de segurança afivelados em todos os ocupantes (inclusive no banco traseiro).
      . Faróis acesos mesmo durante o dia.
      . Crianças menores de dez anos sentadas no banco traseiro do carro (e usando as cadeirinhas apropriadas para cada idade), com cinto de segurança.
      . Engate para reboque não é permitido, se o acessório ultrapassar as medidas do carro. Exige-se que o engate seja do tipo removível, de modo que, quando não utilizado, possa ser desinstalado.
      . Caminhonetes: Adesivo com limite de velocidade.
      . Coletes reflexivos (exigido no Chile).

      Você poderá contar conosco para receber mais dicas. Escreva-nos e diga algo mais do que desejaria visitar.

      Por fim, ajude-nos a manter o blog de pé. Basta fazer a reserva de seus hotéis pelo link do Booking.com que temos aqui na página do Mapa na Mão (https://www.booking.com/index.html?aid=962522).

      Não se preocupe, pois você NÃO pagará mais caro por isso. Ainda que você procure hospedagens simples e de baixo custo, procure fazer aqui pelo Mapa na Mão. É um jeito simples e gratuito de ajudar o blog.

      Se viajar, não deixe de fazer o seguro viagem. Temos um link aqui no blog que busca as melhores cotações.

      Aguardamos seu retorno e ficamos à disposição para auxiliar.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

  8. Jose Antonio Saraiva disse:

    Boa Noite
    Pretendo fazer a viagem para o Chile saindo de São Luis MA, ficarei uns dias em Foz do Iguaçu PR, viagem que já estou acostumado, gostaria de saber quais as paradas que deveremos fazer saindo de foz até Santiago?
    Quanto a postos de gasolina e constantes na viagem ou terei que ter algum cuidado, visto que meu carro tem autonomia aproximada de 400 km?
    PS. vou fazer essa viagem em FEVEREIRO agora

  9. Ana Batista disse:

    Bom dia,

    Estou pensando em ir até o Chile de carro saindo de Santos/S`P, em Agosto deste ano…20 dias vc acha que dá pra programar algo legal? Ou seria melhor ir até Argentina e explorar lá somente?
    Pensei de voltar pela Argentina, parar em Foz e ir no Paraguai tbm mas não sei se seria viável pelo tempo disponível. Aceito sugestões de roteiro pela região tbm, estou bem perdida em relação a isso rs
    Acha que 6 mil para casal dá ou seria pouco?

    • Mapa na mão disse:

      Olá Ana.

      Minhas desculpas pela demora em responder. O Mapa na Mão não teve sossego desde dezembro e ficamos sem temos para responder aos nossos leitores.

      Vamos lá, vou tentar colaborar o máximo possível com você.

      – 20 dias, partindo de Santos: Sim, é possível fazer algo legal com esse tempo. A única observação que faço é que precisarão focar uma região. Por exemplo, não adianta querer conhecer o Deserto do Atacama e a Patagônia Chilena nessa mesma viagem. É preciso definir e focar os objetivos, pois não terão tempo para conhecer o Chile e Argentina inteiros, porque são países grandes, do ponto de vista territorial.

      – Argentina e Chile ou só Argentina: Acredito que o Chile pode ser incluído nessa viagem, até porque a Cordilheira, nos meses de inverno, tem paisagem pouco comum a nós brasileiros: a neve…. Mas como eu já disse, apenas observem a região que terão o prazer de conhecê-la. Não façam nada que incluindo do Sul ao Norte do Chile.

      – Retorno via Foz do Iguaçu/Paraguai: Sim, é possível. Desde que sejam, no máximo, duas noites de pernoite por lá. Agora, reflitam bem. Talvez fosse melhor deixar Foz e Paraguai para uma outra ocasião. Aproveitem o sul do Brasil (Santa Catarina) e as paisagens que há por aqui, o que pode ser resolvido com uma simples passagem ou um único pernoite. Atrasará muito pouco até o destino final.

      – Custo e os 6 mil reais: Não irei esconder. Estou achando o orçamento apertado. Chile e Argentina são países caros e não é raro que serviços (destinos, restaurantes, hoteis) sejam cotados em dólar por lá. Estiquem um pouquinho o orçamento para uma viagem mais proveitosa. Embora eu não tenha feito isso, sei que há vários campings na Argentina, o que poderia reduzir as despesas com hospedagens.

      – Sugestões, destinos e roteiros: Fazer um roteiro personalizado terá um custo. Vale muitíssimo a pena contratá-lo conosco. Se a grana está curta, poderemos fazer sugestões mais específicas, ficando você no compromisso de reservar os hoteis pelo link do booking.com que temos aqui no blog (https://www.booking.com/index.html?aid=962522). Não se preocupe, você não pagará mais caro por isso, pois o preço da hospedagem é o mesmo.

      Precisa de mais ajuda e esclarecimentos? Escreva-nos. Teremos o prazer de ajudá-la nos preparativos da viagem.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

  10. Rodrigo disse:

    Boa noite, gostei muito do site e so me seu mais vontade de ir, mas gostaria que informasse os custos da viagem, combustivel gasto, valor da gasolina na argentina e no chile, pedagios etc.

    • Mapa na mão disse:

      Rodrigo, boa tarde.

      É difícil calcular os custos, pois há vários caminhos.

      Na Argentina o combustível anda caro e no Chile mais ainda. A sugestão é fazer o cálculo de 8000 km pelo consumo do carro e multiplicar por 5,5 (chute do custo do combustível). Na Argentina os pedágios são baratos, assim como no Uruguai. No Chile os pedágios são caros. Depois do combustível, as reservas de hotéis são o segundo item mais caro da viagem, mas essa parte é fácil calcular, usando o link do Booking.com – https://www.booking.com/index.html?aid=962522 – que temos aqui no blog.

      Saudações quilométricas do Mapa na Mão.

  11. Marco A M Costa disse:

    Bom dia, adorei esse post pois um de meus sonhos seria ir até Santiago do Chile e um pouco além de carro. Sou de São João da Boa Vista – SP e tenho estudado muito esse trajeto, passando por Foz do Iguaçu e indo em direção a Mendoza. Pergunto: a ideia é irmos de Van 15 lug. q pretendo comprar para que possamos ir em 3 ou 4 casais aproveitando melhor os amigos do q em carros separados. Há algum problema sendo uma Van minha, particular? Fiquei sabendo q a Polícia Rodoviária Argentina é corrupta e por isso preciso levar uns dólares separados, é verdade? Será q posso encontrar algum problema sério nas Fronteiras com o veículo ou com os amigos q estraguem a viagem? Obrigado.

    • Mapa na mão disse:

      Olá Marco, bom dia.

      Não vejo problemas em viajar com a Van. Você terá algumas regras adicionais a cumprir, por transitar com um veículo dessa natureza. De antemão, lembro-me das faixas reflexivas coladas no para-choque do veículo e o também adesivo com o limite de velocidade fixado no vidro traseiro ou na tampa do porta-malas.

      Se você quiser mais detalhes, convido-o a conversar conosco e contratar o roteiro personalizado, para que possamos fazer o estudo mais pormenorizado de sua viagem (documentos do veículo, pessoais, acessórios exigidos…)

      Quanto à polícia, sim, os relatos são conhecidos, principalmente nas Províncias de Entre Ríos e Corrientes. Já escrevemos sobre isso aqui no blog. Leia o post: https://mapanamao.com.br/argentina-e-chile-de-carro/.

      Fique tranquilo, a qualidade da viagem é feita por você. Não deixe que os contratempos o aborreçam.

      Por fim.

      a. Esteja onde estiver em estradas argentinas, evite rodar com menos de meio tanque de combustível.

      b. Não faça sua viagem sem fazer as reservas de hotéis. Evite o estresse após um dia inteiro de viagem.
      Podemos ajudar você na procura dos hotéis e poderemos fornecer mais dicas sobre boa parte do roteiro. Basta escrever-nos.

      No mais, ajude-nos a manter o blog de pé fazendo as reservas de hotéis nas sugestões que fizemos a você ou pelo link do Booking.com que temos aqui na página do Mapa na Mão (https://www.booking.com/index.html?aid=962522).

      Não se preocupe, pois você NÃO pagará mais caro por isso. Ainda que você procure hospedagens simples e de baixo custo, procure fazer aqui pelo Mapa na Mão. É um jeito simples e gratuito de ajudar o blog.

      Aguardamos seu retorno.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

  12. Luiz Artur Reinheimer disse:

    Olá. Sou Luiz . Moro em condor RS. Tenho muita vontade em ir ao Chile em julho deste ano com minha família. Oque me diz? Nunca fiz uma viagem dessas tão longa. Minha mulher é do Tocantins. Daqui lá são serca de 3200k. Sempre fizemos de avião. Mas esta viagem queremos aventurar. Ir de carro. Tenho um omega australiano. 3.8v6. carro muito confortável para viagens. Mas faz em média 12km/l. O gasto será meio alto. Não tenho noção nenhuma de trajeto a percorrer. Faço ou não está viagem?

    • Mapa na mão disse:

      Olá Luiz.

      Perguntou no lugar errado rssss. Sim, se você quer um conselho sobre ir ou não, minha sugestão é: vá. Não perca a oportunidade de conhecer o interior argentino e a capital chilena (para mim, a capital mais bonita da América Latina).

      Você pretende ir durante o inverno, então, prepare-se para contemplar paisagens muito difíceis aqui a nós brasileiros: neve!!! A não ser que você more na serra gaucha ou mesmo catarinense, é incomum ver neve. Está aí uma razão ímpar para fazer a viagem.

      Só não entendi uma coisa: sua esposa mora também no RS ou no Tocantins? Se sua viagem parte do Tocantins, saiba que será muito chão pela frente. Agora, se sua partida é do RS, facinho, facinho. O Chile é logo ali!!!!

      Sobre o trajeto, não há muito que inventar. Podemos conversar mais sobre isso com você, caso tenha interesse em se aprofundar sobre o assunto. Pela característica de seu carro (um ômega), não aconselho a meter-se por estradas de terra. Procure fazer a viagem apenas por rotas asfaltadas.

      Se desejar e marcar sua viagem, fale conosco. Faça as reservas de hotéis pelo link que temos aqui no blog (https://www.booking.com/index.html?aid=962522) que ajudaremos você com rotas e passeios. Não se preocupe, você

      NÃO gastará mais com hospedagens por isso.

      Se desejar e precisar conversar mais, escreva.

      Saudações quilométricas, do Mapa na Mão.

      Dila Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Monte sua viagem

Ou nós montamos para você

Dilamar
Dilamar
Voltar

Eu sou o Dilamar, Bacharel em Direito, viajante nas horas vagas e não vagas. Sou admirador de viagens rodoviárias, principalmente aquelas bem longas e focadas em regiões montanhosas. E também sou ciclista amador e apaixonado por motos.

Eu sou a Letícia, tenho 14 anos e sou estudante. Gosto muito de pintar quadros, escrever poemas, ler e, principalmente, viajar. Para mim, o mundo é o meu quintal.

Eu sou a Ester. Tenho 26 anos e sou estudante de medicina. Moro em Floripa, sou apaixonada por Paris e frequentadora assídua de São Paulo, mas com os pés sempre em Criciúma, minha cidade natal. Amo sair do lugar, seja por poucos metros ou por muitos quilômetros, e de todas as formas possíveis. Das mais confortáveis viagens de trem às mais insanas viagens de carro. Conhecer o desconhecido me fascina! Viajar é minha maior paixão, mas devo arriscar dizer que sou quase tão apaixonada por montar os roteiros antes de viajar quanto pela viagem em si!

Olá, eu sou a Michela, Bacharela em Direito, pós graduada em Direito Constitucional, colecionadora de ímãs e de viagens. Conheci mais de 20 países, aliás, muito mais do que um dia imaginei conseguir, e vários recantos escondidos bem aqui pertinho de mim. Se canso? Jamais. Isso só aguça ainda mais meu desejo de percorrer este mundão. O que mais amo? Deus, minha família e viajar, claro.