Logo Mapa Na Mão

Cânion Itaimbezinho: dicas para um passeio perfeito

publicado em: 10/11/2020 atualizado em: 10/11/2020

Saber os detalhes deste passeio incrível ao Cânion Itaimbezinho faz toda a diferença na hora de programar a ida até lá.

Isto porque é um local de natureza um tanto quanto selvagem, com pouca infraestrutura ainda, o que faz com que seja um lugar especial.

Por isto, quero trazer para ti aqui dicas para tornar o passeio ainda mais agradável. Vou te contar como é a estrutura do parque, como são as trilhas, onde ficar, onde comer e muito mais. Sei que vais te encantar!

LEIA TAMBÉM: 14 dicas de economia em viagens

Querido leitor – DESCONTO de 10% só aqui no blog:
O seguro viagem não pode faltar na tua viagem, mesmo para as nacionais. Uma doença, um acidente, a perda da mala, o cancelamento do voo, podem estragar as férias. E o seguro não é caro. Por isso, vale a pena.
* Brasil: aproximadamente 5 reais por dia.
* Europa: aproximadamente 20 reais por dia.
** Clique aqui e faça a cotação do seguro, sem custo. Este link já garante 10% de desconto aos leitores do Mapa na Mão.

Cânion Itaimbezinho – estrutura do parque

O Cânion Itaimbezinho é o mais famoso da região. Ele fica no Parque Nacional de Aparados da Serra. O local ainda possui infraestrutura precária. Ouvi falar que está para ser concedido o seu cuidado e possivelmente isto irá mudar.

Este cânion possui 720 metros de profundidade, 600 de largura e 5,8 km de extensão, sendo considerado o maior da América Latina. Os paredões são íngremes e parecem ter sido cortados. Daí o nome que em Tupi Guarani significa “ita”: pedra e “aimbé”: cortante e afiada.

Por enquanto, há no parque logo na entrada um portal com banheiros nada limpos. Não há cobrança de entrada no momento.

Logo após este portal, estacionamento para os visitantes, mesas com bancos para lanches ao ar livre e um centro de visitantes também com banheiros. Nada mais.

LEIA TAMBÉM: como ter uma viagem de avião mais confortável

canyon itaimbezinho

Ah, olha só que legal. Na sede do parque, fique em pé no meio do círculo de grama ao fundo da foto, vire para este banco de concreto e fale ou grite. Faz um eco bem alto.

Cânion Itaimbezinho – trilhas

Há três trilhas no parque. Duas pela parte superior do cânion e uma pela inferior. As duas de cima iniciam na sede do Parque Nacional de Aparados da Serra, chamadas de Trilha do Vértice e Trilha do Cotovelo.

A de baixo é a Trilha do Rio do Boi, feita pelo interior do cânion e que exige maior esforço físico. Eu vou te contar um pouquinho de cada uma, já que estas são as principais atrações do lugar.

LEIA TAMBÉM: como arrumar as malas – a bagagem feminina perfeita

Trilha do Vértice

Uma das trilhas feitas em cima do cânion é a Trilha do Vértice. Bom, estas duas trilhas da parte superior permitem a visão do cânion de cima para baixo e acredite em mim, são vistas lindas demais.

Nós começamos o passeio por esta trilha, que é menor e possui nível fácil.

Para percorrê-la leva-se em torno de 45 minutos.

Chegando à sede do parque onde há banheiros, vire à esquerda para começar esta trilha.

Vais caminhar até chegar ao Mirante da Cachoeira das Andorinhas, onde se vê a Cascata das Andorinhas. Esta queda d’água possui aproximadamente 200 metros de altura. O Arroio Perdizes forma esta cascata. Depois ela se transforma no Rio do Boi, que corta o cânion na sua parte inferior.

O próximo mirante é o da Cachoeira Véu da Noiva, que possui aproximadamente 289 metros de altura. Esta cascata também colabora na vazão do Rio do Boi e é formada pelo Arroio Preá, na parte de cima.

O outro mirante, o Mirante do Vértice, permite vista das duas cascatas dos mirantes anteriores e do início da fenda do Cânion Itaimbezinho. Este início tem forma de vértice e por isso o nome da trilha.

Continue a caminhada para outras vistas do cânion e das cachoeiras e para chegar a outros mirantes. No caminho tu vais encontrar o Café do Vô Marçal e o Artesanato da Vó Maria. Vou te contar mais sobre ele abaixo.

LEIA TAMBÉM: como evitar furtos de malas em aeroportos

vértice itaimbezinho

Está vendo estas flores rosa bem no início da foto? Ali começa o rasgo do cânion.

Mirante das Andorinhas

Trilha do Cotovelo

Esta trilha inicia do lado direito da sede do parque, na placa abaixo. Ela possui 6,3 km de extensão, contando a ida e a volta. O trajeto é plano, feito por uma estrada, bem tranquilo, porém um tanto longo, levando em média 3 horas para fazê-lo ida e volta.

É fácil, mas um pouco cansativo por ser um pouco longo. Mas fizemos com crianças e com a minha mãe que tem 72 anos e foi tranquilo.

Logo no início tu vais passar por uma ponte de madeira sobre o Arroio Perdizes. Aproveite e já tire fotos neste local que é muito bonito.

Aprecie as árvores e principalmente as araucárias, nosso xodó. E também a vista dos paredões do cânion, sensacional!

Há mirantes para apreciar estes paredões incríveis de alguns ângulos. Não deixe de ir até o Mirante do Cotovelo para ver as lindas fendas do cânion. E no final da trilha, há uma espécie de pequena arquibancada de madeira no chão. Sentamos para descansar um pouquinho e namorar mais um pouco a natureza maravilhosa deste lugar.

LEIA TAMBÉM: viagem com filhos mais confortável, descomplicada e divertida

Placa do início da Trilha do Cotovelo

Ponte sobre o Arroio Perdizes

trilha do cotovelo

Trilha do Rio do Boi

Ainda não fiz esta trilha, mas sou doida para fazer. Está na lista.

Ela é a mais longa entre as trilhas e também a de nível mais difícil. São 14 km de ida e volta. A caminhada dura aproximadamente de 5 a 7 horas. Muitas vezes é necessário passar dentro do rio e entre pedras. Portanto, leve calçado confortável e que te dê segurança e roupas que possam molhar.

A trilha é feita na parte inferior da fenda do Cânion Itaimbezinho, ou seja, dentro dele. A vista do cânion é diferente, de baixo para cima.

É necessário ter um guia ou condutor credenciado. O acesso a esta trilha é por Praia Grande, em Santa Catarina. Ou seja, não é para ir até a sede do Parque Nacional de Aparados da Serra que fica na parte de cima, como já te contei.

LEIA TAMBÉM: 8 dicas para viajar pela Europa gastando pouco

Cânion Itaimbezinho – onde ficar

Como o parque nacional fica entre Praia Grande/SC e Cambará do Sul/RS, vou deixar opções de hospedagem nestas duas cidades. Então, dependendo de onde vens ou para onde vais, é possível ficar em qualquer uma delas.

Praia Grande

Caso queiras pesquisar outras opções de onde ficar em Praia Grande, clique no quadrinho laranja a seguir:

Onde ficar em Praia Grande

Cambará do Sul

E caso queiras pesquisar outras opções em Cambará, clique no quadrinho laranja a seguir e divirta-se:

Onde ficar em Cambará do Sul

Onde comer no Cânion Itaimbezinho

Dentro do Parque Nacional há somente uma lanchonete, o Café do Vô Marçal. Fica na trilha do vértice. Ela funciona em uma casa de madeira antiga, de 1945. Na outra vez que estivemos lá, comemos pastéis neste café.

Desta vez, levamos sanduíches para fazer um pic nic no parque. Outra opção seria comer na cidade, em Praia Grande ou Cambará do Sul.

café canyon

Onde fica o Cânion Itaimbezinho e como chegar

O parque Nacional dos Aparados da Serra fica entre Cambará do Sul e Praia Grande. Cambará do Sul fica no Rio Grande do Sul. A parte de cima da serra pertence ao estado gaúcho. Já Praia Grande fica em Santa Catarina. A parte de baixo da serra fica no lado catarinense.

Caso tu venhas de Santa Catarina, vá até a cidade de Praia Grande. Suba a Serra do Faxinal pela RS-427. Boa parte do trecho é estrada de chão. Portanto, vá com paciência e bom ânimo, hehe.

Caso tu vás pelo Rio Grande do Sul, dirija até Cambará do Sul. Pegue a mesma RS-427 até Itaimbezinho. São 21 km de estrada de chão.

De avião

  • Uma opção é descer no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. Ele fica a aproximadamente 200 km do cânion. Alugue um carro aqui a partir do aeroporto e dirija até o parque nacional.
  • Outra opção é descer em Florianópolis, no Aeroporto Internacional Hercílio Luz. Ele fica a 318 km do parque nacional. Alugue um carro antecipadamente aqui e venha pela BR-101 até Praia Grande.
  • E ainda é possível descer no Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi, que fica em Jaguaruna/SC, a 150 km do cânion. Porém, por ser um aeroporto menor, há menos voos. Confira as opções.
cascata cânion itaimbezinho

Quando ir ao Cânion Itaimbezinho

No inverno costuma fazer bastante frio na região, que é serrana. No verão, é interessante incluir a Trilha do Rio do Boi, já que é possível tomar banho de rio e de cachoeira. Eu não faria esta trilha no inverno, a menos que seja um dia não muito frio.

Podes visitar o cânion em qualquer dia do ano, apenas verifique se o dia será bonito e opte pelo frio ou pelo calor, de acordo com a tua preferência. Uma boa opção para evitar os extremos de temperaturas seria visitar o local na primavera ou no outono, caso tenhas disponibilidade.

Horários de funcionamento do parque

  • De terça a domingo e feriados, das 8h às 17h. Porém, é obrigatório sair do parque até às 18h. A trilha do Cotovelo é aberta ao público até às 15h. Então, calcule os horários para não perder a trilha e também o horário de saída do parque.

Dicas gerais para aproveitar melhor o passeio

  • Vá com roupas e calçados confortáveis.
  • Leve água, protetor solar, alguns lanches ou mesmo opções para o almoço, caso queiras fazer um pic nic.
  • À tarde pode acontecer nevoeiro, mas no verão é mais difícil. Portanto, para garantir, podes optar por fazer as trilhas ainda na parte da manhã.
  • A Trilha do Rio do Boi requer um dia todo. Já as trilhas da parte de cima do cânion podem ser feitas em meio dia de passeio.
  • Não são permitidos no parque levar animais de estimação, tomar banho nos rios de cima do cânion, acampar e fazer fogueira.

LEIA TAMBÉM SOBRE ESTES DESTINOS INCRÍVEIS EM SANTA CATARINA:

O que fazer em Garopaba

Um dia na Serra do Rio do Rastro

O que fazer em Nova Veneza

Praias de Imbituba

O que fazer em Pomerode

São Francisco do Sul

Nossa história de amor com o Cânion Itaimbezinho

A primeira vez que fomos ao cânion foi em 1992, com a turma da faculdade do esposo. Se hoje não há muita infraestrutura, naquele tempo não havia nada, nada mesmo. Nem banheiros, hehehe.

Nós acampamos com barracas do exército no meio do nada. Nem proteção para segurança nas bordas do cânion havia. Era perigoso sair à noite ou durante o nevoeiro, porque não dava para enxergar nada. Mas a natureza quase virgem do lugar nos encantou. Foi amor à primeira vista.

Depois desta experiência, voltamos algumas vezes com a família, com as filhas e nesta última ida, fomos com meus irmãos, meus sobrinhos e minha mãe. Estamos passando por um momento muito difícil em nossas vidas. Meu pai faleceu em consequência da Covid depois de passar 54 dias no hospital. Precisávamos do contato com a natureza, de caminhar um pouco e de tentar aquecer um pouco nossos corações. Itaimbezinho foi o primeiro lugar escolhido.

Amamos muito esta serra e te convido também a conhecê-la. Me conta depois nos comentários o que tu achou, combinado?

cambará do sul

Viaje por conta própria e economize muito

Planejar a própria viagem é uma forma de ter liberdade e economizar. Além disso, usando os links abaixo, sem custo adicional algum, vais ajudar a manter o Mapa na Mão funcionando. Você NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO e ajuda a manter nosso trabalho de pé!

Hotel ou apartamento: Booking – compare preços e qualidade. Podes ainda fazer reserva com opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in.

Aluguel de carro: Rentcars – os melhores preços em diversas locadoras. Pague em real, sem o IOF. Carros mais baratos alugando com antecedência. Podes parcelar em 12 vezes no cartão ou pagar no boleto com 5% de desconto.

Seguro Viagem: Real – nosso link exclusivo já dá 10% de desconto. Seguros Promoutilize o nosso cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto. Cote nas duas e escolha o melhor. Por experiência própria, os valores destes dois sites geralmente são melhores que de agências.

Aéreo: Passagens Promo 

Outras informações para reservar tudo sozinho: monte a tua viagem sozinho 

Michela
Michela
Curtidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Monte sua viagem

Ou nós montamos para você

Voltar

Eu sou o Dilamar, Bacharel em Direito, viajante nas horas vagas e não vagas. Sou admirador de viagens rodoviárias, principalmente aquelas bem longas e focadas em regiões montanhosas. E também sou ciclista amador e apaixonado por motos.

Eu sou a Letícia, tenho 16 anos e estou no terceiro ano do ensino médio. Gosto muito de ler, desenhar, pesquisar e, é claro, viajar. Quando viajo, procuro sempre conhecer a história do local. Ser fascinada por esse aspecto explica o meu grande sonho: visitar o Egito e conhecer um pouco mais dessa civilização antiga.

Eu sou a Ester. Tenho 28 anos e sou médica. Moro em Florianópolis, sou apaixonada por Paris e frequentadora assídua de São Paulo, mas com os pés sempre em Criciúma, minha cidade natal. Amo sair do lugar, seja por poucos metros ou por muitos quilômetros, e de todas as formas possíveis. Das mais confortáveis viagens de trem às mais insanas viagens de carro. Conhecer o desconhecido me fascina! Viajar é minha maior paixão, mas devo arriscar dizer que sou quase tão apaixonada por montar os roteiros antes de viajar quanto pela viagem em si!

Olá, eu sou a Michela, Bacharela em Direito, pós graduada em Direito Constitucional, colecionadora de ímãs e de viagens. Conheci mais de 20 países, aliás, muito mais do que um dia imaginei conseguir, e vários recantos escondidos bem aqui pertinho de mim. Se canso? Jamais. Isso só aguça ainda mais meu desejo de percorrer este mundão. O que mais amo? Deus, minha família e viajar, claro.