ASSESSORIA DE VIAGENS
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type

O que fazer em Budapeste em 3 dias ou mais – guia completo

publicado em: 07/03/2019 atualizado em: 07/03/2019

O sonho de conhecer Budapeste, capital da Hungria, não era de hoje. Fazia alguns anos que eu queria muito ir a esta cidade tão rica em história e beleza. Sabe o parlamento húngaro? Este da primeira foto. Eu morria de vontade de vê-lo pessoalmente. E olha só que coisa linda! Agora em fevereiro, consegui realizar mais este sonho de viagem. Compramos uma passagem em promoção para Milão, e de lá iniciamos nossa Eurotrip 2019. Deu certo de incluir Budapeste. Pensa na felicidade da guria, heheheh. E claro que quero te incentivar a ir também. Por isso, vou deixar aqui um roteiro de o que fazer em Budapeste em 3 ou mais dias. E ainda, nosso guia completo para uma viagem perfeita.

Ah, e ainda sobre o parlamento, achava tão lindo vê-lo em fotos, que encomendei uma foto noturna ao marido já fazia tempo, porque queria fazer um quadro para colocar na entrada da casa. Mas vou deixar para contar mais sobre isso e sobre esta atração maravilhosa quando falar dele.

Mas antes de todas as dicas, quero te convidar a assinar nossa newsletter e receber e-mails atualizados com todas as novidades e promoções do blog. Não quer mais receber? Simples, é só sair da lista a qualquer momento. Deixe o teu e-mail no campo abaixo e faça parte desta lista de amigos viajantes.

Onde fica Budapeste

Budapeste é a capital da Hungria, que fica no centro da Europa. Localizada às margens do Rio Danúbio, o segundo maior rio europeu. A Hungria faz divisa com a Áustria, a Eslováquia, a Ucrânia, a Romênia, a Sérvia, a Croácia e a Eslovênia.

onde fica budapeste

Se situando em Budapeste

Budapeste foi fundada em 1873 com a fusão das cidades de Buda, que ficava na margem direita do Rio Danúbio, e Peste, na margem esquerda. O lado Buda, de muita importância turística, com construções históricas belíssimas, o castelo em uma colina, igrejas góticas, é também o lado mais rico e tranquilo. Peste, também com muitas atrações turísticas, é a parte mais efervescente, de maior importância econômica por concentrar a parte comercial. Ali há mais restaurantes, hotéis, empresas, lojas.

Portanto, tire tempo para conhecer as duas faces de Budapeste e entender melhor a delícia que é a capital da Hungria.

Onde se hospedar em Budapeste

A maioria das atrações da capital de Budapeste ficam próximas ao Rio Danúbio. O lado onde se avistam montanhas é lado Buda da cidade. O lado onde está o parlamento é o Peste, maior, e onde a cidade vibra. É neste lado onde se localizam o comércio, os negócios, a maior parte dos restaurantes e também muitas atrações, como te contei antes. Por isso é a parte mais vibrante da cidade. Eu aconselho se hospedar no lado Peste e de preferência próximo ao rio. Assim vai dar para aproveitar melhor as duas margens do Danúbio e também as principais atrações turísticas.

Nós nos hospedamos no Leo Panzio Hotel e contei tudo sobre esta opção neste post de onde ficar em Budapeste. O interessante é que ele fica em uma região ótima com comércio, restaurantes, estação de metrô bem ao lado e próximo do rio. E o valor é bom, fazendo dele uma boa opção com ótimo custo x benefício.

Outras opções de hospedagem, por valor:

Não gostou do hotel que experimentamos ou das opções acima? Dá uma olhada no quadrinho laranja abaixo, onde deixo outras hospedagens na cidade. Mas olha com carinho, porque esta cidade é maravilhosa demais. Clicando ali abaixo, após abrir o site, no quadro laranja à esquerda, preencha com as datas e a quantidade de pessoas e depois de clicar em pesquisar, podes escolher os filtros para te ajudar. São eles: nossas principais escolhas, ou seja, o que o Booking elege como interessante primeiro, preço, nota de avaliação e preço e estrelas. Dá uma olhada na nota de avaliação no cantinho superior direito de cada hotel. Abra para ler o que os hóspedes estão falando. Confira o que a hospedagem oferece e reserve, se for do teu agrado.

Outros hotéis em Budapeste

Seguro viagem – item obrigatório

Para viagens à Europa, é obrigatório fazer um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros, de acordo com o Tratado de Schengen, isto para garantir que terás cobertura em caso de doença ou acidente. E já ouvi relato de pessoas que tiveram que fazer uma cirurgia de emergência, por exemplo, que custaria milhares de euros. Portanto, não dá para ir para fora do país sem seguro. Não esqueças de fazer o teu antes da viagem.

Neste post escrevi tudo sobre seguro viagem – como fazer, porquê fazer, etc. E o valor não é tão alto. Vou deixar dois links abaixo para dares uma olhada. Ambas as empresas fazem cotações em várias seguradoras e podes escolher a cobertura que mais te agrada, além, claro, do preço que cabe no teu bolso. E por experiência própria, há opções com preços bem interessantes.

Ah, olha só, no Seguros Promo, caso seja mais interessante o seguro escolhido, utilize o cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto. E caso pagues com boleto, mais 5%.

Pesquise aqui com a Real Seguros         Aqui com a Seguros Promo

O que fazer em Budapeste em 3 dias ou mais

Vou te contar o que fizemos exatamente na ordem dos nossos passeios. Claro, podes adaptar para o teu caso, tirar algo que não te agrade, incluir algo da lista posterior. Ah, deixa eu te contar desta lista. É que primeiro vou te dar sugestão de o que fazer em em Budapeste em 3 dias, exatamente como fizemos em 3 dias com bastante folga, nada de correria. Mas depois vou deixar mais opções de passeios para que tu possas adaptar conforme o teu gosto ou número de dias, combinado?

Primeiro dia

Free Walking Tour

Primeiro, para se ambientar com a cidade, achamos legal fazer um free walking tour. Mas o que é isso? É um tour feito em grupo, à pé, sem custo fixo. No final, a gente dá gorjeta ao guia. Se queres mais detalhes, leia aqui o que escrevemos sobre o free walking tour e como vale a pena fazê-lo por aí.

Então, chegamos antes das 10h30min na Praça Elizabeth (Erzsébet), onde fica a Budapest Eye, a roda gigante. Dali saem free walking tours diariamente. Escolhemos o original tour, o que dá um panorama geral da cidade. Nós fizemos com a Passeando por Europa, mas achei que o itinerário da Trip to Budapest é até melhor. Perguntei lá na hora e não era necessário reservar antes, mas se vais em alta temporada, dá uma olhada antes no site. Outro bem falado free tour é o da White Umbrella Tours. Só que o ponto de encontro é próximo ao parlamento e, pelo site, é necessário reservar.

Lugares conhecidos no free walking tour

Neste passeio, conhecemos pontos interessantes de Budapeste, ouvindo histórias do nosso guia. Fomos até a Basílica de São Estevão, ou St. Stephen’s Basilica. Ah, tente entrar nesta igreja que é muito bonita. Depois aproveitamos para esfregar a barriguinha da estátua simpática do policial, ou The Fat Policeman Statue. Dizem que se esfregá-la, não engorda mais. Fala sério, melhor que ter sorte, né? hahahaha. Ah, e dizem também que para provar que se foi a Budapeste, é necessário tirar uma foto com ele, hehehe. Nós garantimos a nossa.

Depois caminhamos até o Memorial for Victims of the German Occupation, o monumento mais polêmico da cidade. Já conto mais sobre ele. Nesta mesma praça, a da Liberdade, conhecemos também o Szovjet háborús emlékmű, ou memorial da guerra soviética (único monumento soviético que restou em Budapeste, justamente na Praça da Liberdade). Também na praça, um símbolo do capitalismo, a estátua de Ronald Reagan. No final, caminhada até o parlamento, onde o guia nos contou outras curiosidades.

estatua policial gordinho budapeste

Pra garantir, esfreguei várias vezes a barriguinha do policial gordinho, heheh

Mais sobre o Memorial for Victims of the German Occupation

Segundo nos contou nosso guia, o Governo Húngaro optou por entrar na segunda guerra. E com este monumento atual, erguido em 2013, quis mostrar que o país era inocente, o anjo, e o nazismo seria a águia, que atacou sem dó nem piedade. Em protesto, o povo criou seu próprio memorial em frente, colocando fotos de judeus mortos, uma cerca de arame farpado para lembrar os campos de concentração, pedras, flores, velas.

Parlamento no lado Peste e praça do parlamento

Com o fim do free walking tour, aproveitamos para tirar fotos do Parlamento Húngaro no lado Peste, onde ele está construído. Este edifício é sensacional! E na praça onde ele está localizado há outros edifícios importantes, como o Museu Etnográfico, que fica ali, bem ao lado do parlamento. O curioso é que existem bolas de ferro na parede deste edifício, que marcam os locais onde havia buracos de balas de armas que foram disparadas contra grupos de estudantes que protestavam contra o governo soviético durante a Revolução de 1956.

Nós não entramos no parlamento, mas há visita guiada de uns 45 minutos. Clicando no quadrinho abaixo consegues comprar antecipadamente, garantir a vaga, sem filas, e já ir pagando antes da viagem.

Excursão guiada pelo parlamento

capital da Hungria

Lindo o parlamento visto do lado Buda, amo!

Shoes on the Danube Bank

Bem ao lado do parlamento, se encontra este memorial às vítimas do nazismo. Foi para mim a parte mais chocante da viagem. É uma linha de 40 metros de sapatos de ferro, que simbolizam os judeus assassinados na cidade durante a segunda guerra mundial. Neste local, os judeus eram obrigados a tirar seus sapatos. Isto tinha um simbolismo doloroso. Os sapatos eram seus bens mais valiosos no momento. Não lhes restava mais nada, e os sapatos contavam a história deles, por onde haviam pisado, o que haviam feito. Bem, neste momento eles eram despidos do seu bem valioso para serem alvejados na beira do rio. Assim, seus corpos caíam na água gelada e seus sapatos eram deixados para trás.

Um pouco mais de crueldade. Eles eram alvejados de dois em dois para economizar munição. O primeiro já morria com o tiro, na maioria das vezes, e o segundo, abraçado a ele, caia junto no rio, morrendo muitas vezes afogado. Um memorial para respeitar, meditar nas atrocidades passadas e jamais repetir tamanha maldade.

capital da Hungria monumento aos judeus shots of Danúbio

Caminhada pela margem do Danúbio e retorno pela Basílica de São Estevão

Um passeio imperdível é caminhar pela margem do Rio Danúbio. Na verdade, por ambas as margens, e apreciar a cidade dos dois lados. As construções, as pontes, o próprio rio, fazem da caminhada um momento sem igual.

Depois de aproveitarmos um pouco esta caminhada, retornamos para a Basílica de São Estevão, pois queríamos curtir as ruas com mais calma e também tirar mais fotos da igreja.

catedral de budapeste

Esta é a Catedral de Budapeste, a Basílica de São Estevão

Segundo dia

Fashion Street

De manhã, caminhamos até a Fashion Street para conhecer a região. Nesta rua há lojas de grifes como Lacost, Hugo Boss e outras. Também vi Starbucks e outros comércios interessantes. É uma rua bonita com lojas para apreciar e comprar, caso tu sejas phyno, heheheh. Eu só olhei mesmo por falta de tempo, hahahahah. Nada disso, foi falta de euro mesmo.

Deak Ferenc – praça principal

Logo no final desta rua fica a Deak Ferenc, a praça principal de Budapeste. Ela é pequena, mas possui uma igreja protestante, um monumento em homenagem a um pastor desta igreja que salvou milhares de crianças na segunda guerra, pontos de vendas de tickets de atrações e o encontro de ruas importantes.

Avenida Andrassy

Esta é uma avenida com lojas de grife também. Só que diferentemente da Fashion Street que é pequena, a Andrassy é grande. Há lojas como Rolex, Michael Kors, Ralph Lauren e outras. Comprei tanto, mas tanto, hahaha. Mentira! Só olhei vitrines e olhe lá. Há também nesta rua, quiosque que vende um pão em forma de rolo. Prove. É diferente e gostoso. Esqueci o nome, mas também nem saberia escrever aqui, hehehe.

Ópera Nacional da Hungria

Na Avenida Andrassy fica a Ópera Nacional da Hungria. Um lindo edifício por dentro e por fora. Ao menos achei lindo pelas fotos do Google, hahaha, porque estava em reformas e não conseguimos ver nem por fora. Eita azar.

Casa do Terror

Também na avenida, visitamos a Casa do Terror, ou Terror Háza em húngaro. Este museu funcionou como local de execução tanto por parte dos nazistas, quanto dos comunistas. Lá não são permitidas fotos, nem filmagens. Há um tanque de guerra logo após a entrada, fotos, filmes, documentos e objetos que contam histórias do terror em que viveu o país durante estes dois regimes. O edifício por fora já choca ao expor fotos de pessoas mortas durante os períodos.

Há ticket com e sem áudio guia. A mão de vaca aqui optou sem, mas se arrependeu um bocado. Fica a dica, heheh. O museu abre todos os dias, exceto segundas, das 10h às 18h, mas a bilheteria fecha às 17h30min.

O valor do ingresso cheio é de 3000 florins húngaros, o equivalente a aproximadamente 9 euros.

Mais informações no sites oficial: Terror Haza

Free walking tour pelo Distrito Judeu

No dia anterior, ao terminarmos o free walking tour, fechamos um tour guiado com o mesmo guia pelo Distrito Judeu. Este tour custou 12 euros. Porém, no Trip to Budapest vi que há free walking tour também por este local, com grupos de até 8 pessoas. Grupos maiores pagam uma pequena taxa, segundo o site.

Este bairro foi cercado com muro de pedra e cerca de arame para impedir a saída dos judeus. Foi, portanto, um gueto na segunda guerra.

Caminhando, conhecemos o portal de entrada ao bairro, a Grande Sinagoga, que é a maior da Europa, e a Sinagoga Ortodoxa, por fora, pois estavam em reforma. O terreno da sinagoga com a árvore da vida e o memorial do holocausto. Um monumento em homenagem a um suíço que salvou muitos judeus durante a guerra. Plaquinhas douradas no chão, que servem para lembrar pessoas mortas por razões étnicas. Ponto forte do passeio: entramos em uma construção decadente onde ainda há preservado um pedaço do muro que dividia o gueto. O guia nos contou que destes edifícios fronteiriços as pessoas jogavam comidas e outras coisas úteis e, percebendo o governo, desapropriou todas as construções para deixar os judeus ainda mais ilhados e sem comunicação com o mundo exterior.

No final, vimos também um bar de ruína famoso em Budapeste, com decoração toda feita de lixo e objetos encontrados na rua, o Szimpla Kert.

Um passeio que, com certeza, vale muito a pena. Recomendo.

árvore da vida no bairro judeu de budapeste

Aqui a árvore da vida, atrás da Sinagoga

bairro judeu de budapeste

Monumento em homenagem ao suíço que salvou judeus durante a segunda guerra

Terceiro dia

Neste dia, concentramos nossos passeios do roteiro de o que fazer em Budapeste, no lado Buda da cidade. Fomos de metrô até a estação Batthyány Tér, que sai quase em frente ao parlamento. Eu queria vê-lo deste lado do rio, que é onde há a melhor vista. Atravessamos a estrada para chegarmos bem na beirada do rio para tirarmos fotos do parlamento sem nenhum obstáculo à frente. Dali, caminhamos até a colina do castelo.

Chain Bridge

Na caminhada rumo à colina, aproveitamos para conhecer a Chain Bridge, ou Ponte das Correntes. Na época de sua construção, em 1849, foi considerada uma das maravilhas do mundo. Foi a primeira ponte fixa sobre o Danúbio e é uma ponte suspensa de arquitetura belíssima. Estás com tempo? Atravesse à pé pela ponte para chegar a Buda. Nós fomos de metrô porque estávamos cansados.

O guia do free walking tour nos contou também que o idealista desta ponte a construiu por um motivo triste. Seu pai morreu em Buda e ele estava em Peste trabalhando. Era inverno e o rio estava congelado. Nenhuma embarcação quis levá-lo à outra margem. Ele perdeu o funeral do pai e tratou de construir esta ponte para ligar as duas margens do rio.

chain bridge budapeste

Linda esta ponte, né?

Colina do castelo – Palácio Real ou Buda Castle

Da Chain Bridge, nos dirigimos até o funicular para subir até a colina do castelo. O ticket só de ida custa 1200 florins, algo em torno de 3,80 €. O de ida e volta, 1800. Porém, indico somente subir de funicular e descer à pé para apreciar a região. Inclusive para chegar ao ponto do próximo tópico.

O funicular desce em uma praça onde há o portão de acesso ao pátio do castelo, à esquerda. É possível entrar no castelo para conhecer os museus, ou somente caminhar por sua parte externa e apreciar as vistas lindas por todo canto.

Às 10h estava ocorrendo a troca de guarda no lado de fora do portão do castelo. Então, paradinha básica para ver.

Optamos por não entrar no castelo. Tiramos fotos das vistas lindas e de várias partes do pátio. Caminhe pelo pátio onde há esculturas e mais no final, passarelas para mais fotos de cima. Não deixe de ir ao Savoyai Terrace, um terraço longo, para mais visões de babar.

Agora, caso queiras entrar no Buda Castle, ou Castelo de Buda, dentro funcionam a Galeria Nacional, o Museu Histórico e a Biblioteca. Neste site consegues mais informações, inclusive o valor que para o adulto são 10 € (em fevereiro de 2019).

vista de budapeste do castelo de buda

Em cada canto, uma vista mais linda que a outra…

Fisherman’s Bastion ou Bastião do Pescador

Saímos do pátio do castelo e viramos à esquerda, indo para os fundos dele. Lá há a vista dos fundos da cidade e também um caminho que via dar no Fisherman’s Bastion. Mas o que é isso, Michela? Então, eu também ouvia falar e imaginava um monte de coisas, hahahahah. Deixa eu tentar te explicar.

O Fisherman’s Bastion, ou Bastião dos Pescadores, é um monumento de 1902 com 7 torres, que simbolizam as 7 tribos magyares que fundaram a Hungria. E nesta construção, localizada no alto da colina do Castelo de Buda, que parece uma muralha, há passarelas. Suba para novamente ter vistas maravilhosas de Budapeste e do Rio Danúbio. Além das torres, há ali a Igreja de Mathias, com telhados coloridos. Linda, linda mesmo.

Na praça entre o Bastião e a Igreja de Mathias, existe a estátua do primeiro rei dos húngaros, István I, que reinou de 1000 a 1038. Há também restaurante e um Starbucks. Aproveitamos para comer algo depois da caminhada.

Ah, de onde vem o nome deste monumento? Foi uma homenagem a uma associação de pescadores que era responsável pela defesa deste trecho dos muros da cidade, durante a Idade Média.

bastião dos pescadores budapeste

Fisherman’s Bastion

fisherman bastin budapeste

Esta é a estátua do primeiro rei húngaro

Igreja Matias ponto turístico de budapeste

A Igreja de Mathias e seu lindo telhado

Citadella e o pôr do sol

Desça o Bastião pelas escadarias para ir à pé até a Citadella. De preferência, escolha o início do horário dourado, aquele em que o sol deixa as construções mais amareladas, para estar nesta escadaria e tirar fotos douradas do parlamento, como esta que deixo aqui para tu dar uma olhada.

parlamento húngaro

Parlamento húngaro na hora dourada

Lá embaixo, virado de frente para o Danúbio, caminhe para à direita em direção à Citadella, que fica no Monte Gellért, outro monte famoso de Buda e o mais alto e que garante uma vista de arrepiar. É cansativo subir a escadaria, mas garanto, vale a pena. Procure não demorar muito para pegar o pôr do sol lá em cima.

É fácil avistar o ponto onde há a mais linda vista da cidade e também o pôr do sol. Basta encontrar a Estátua da Liberdade, que chama a atenção de tudo que é lugar em Budapeste. É uma grande figura feminina com uma folha de palmeira nas mãos.

Aproveite cada vista que se abre nesta subida. E o pôr do sol fica no lado contrário ao Danúbio, o lado de trás da fortaleza. Há um monumento. Fique bem ali e verás um lindo finalizar do dia.

A Citadella era uma antiga fortaleza construída como estrutura de defesa e foi usada como bunker na segunda guerra. Li que dá para visitar este bunker pagando a entrada. Não chegamos a ver onde ficava. Triste agora.

Fique no monte até anoitecer para também ver Budapeste com as luzes acessas. É magnífico.

Dica MnM: a subida é cansativa. Leve água e vá com roupas e calçado bem confortável. Mas faça de tudo para ir e depois me conta se a vista compensa.

atrações de budapeste

Aqui, a vista no início da noite

Fotos noturnas do Parlamento

Descemos a escadaria do Monte Gellért, o monte da Citadella, e caminhamos pela orla do Danúbio até o parlamento, para fotos noturnas. Eu tinha encomendado fazia anos ao marido esta foto e, claro, não ia perder esta oportunidade. É que eu quero fazer um quadro para colocar na entrada da casa. Eu tinha duas construções em mente para isso. Ou o parlamento britânico ou o húngaro. O britânico não deu, porque o marido quase congelou quando fomos lá, hahahahah. Então restou o da capital da Hungria. Gente, eu não estou exagerando (tá, se eu estiver me fala), mas este edifício é deslumbrante demais! Por isso, eu queria fotos de dia, na hora dourada e de noite e, nesta viagem, deu certo, uhu!!! Apaixonei…

Eu achei muito interessante este city tour digital. Com o teu celular, podes conhecer vários pontos turísticos de Budapeste e ouvir narração em áudio de alta qualidade, recursos visuais sofisticados e mapeamento navegável off-line. Para quem gosta de viajar de forma independente, achei muito legal. Áudio em inglês, por enquanto.

O que fazer em Budapeste – outras opções

Infelizmente, tínhamos outras atrações no nosso roteiro, mas não deu tempo de fazer tudo. É que o celular da filha estragou, fomos atrás de conserto, enfim, acabamos perdendo algumas horas dos nossos três dias e alguns passeios ficaram de fora. Mas caso tu tenhas tempo ou mais dias em Budapeste, vou deixar aqui outras sugestões que achei bem interessantes por lá.

Passeios pagos que eu gostaria de ir:

No quadrinho laranja podes verificar todos os demais passeios pagos em Budapeste:

Passeios pagos em Budapeste

Passeios gratuitos:

  • O Mercado Central de Budapeste – quase chorei, porque adoro mercados públicos. Fica pra próxima…
  • Ilha Margarida – a ilha fluvial do Rio Danúbio;
  • Alexandra Könyváruház – embaixo, uma livraria charmosa, em cima, um café gracioso;
  • Centrál Kávéház (café central) – um dos mais antigos, com decoração tradicional;
  • Váci Utca – umas das ruas principais de Budapeste. De pedestres, no chão há marcações da antiga muralha que cercava Peste;
  • Praça dos Heróis (Hosök tere) – linda de dia e de noite, com o Monumento do Milênio e a tumba do soldado desconhecido;
  • City Park (Városliget) – lago atrás da Praça dos Heróis, onde se passa para chegar ao banho termal Széchenyi. Este lago é transformado em pista de patinação no inverno.

Outras pontes importantes do Danúbio:

  • A Ponte da Liberdade – que liga o Grande Mercado de Budapeste à base da Colina Gellért;
  • A Ponte Elizabeth – que liga o centro de Peste ao monumento de São Geraldo e à escadaria de acesso à Citadella;
  • A Ponte Margarida – que tem saída para a ilha de mesmo nome e de onde se tem outra vista linda da cidade.

Internet ilimitada em Budapeste

Nós utilizamos este chip da Easysim4U em Budapeste na nossa viagem e funcionou muito bem. O legal deste chip é que funciona em toda a Europa e tu não vais precisar comprar um em cada país, caso vás para outro lugar na mesma viagem. Queres saber todos os detalhes? Leia aqui o que escrevi sobre chip de internet ilimitada para usar fora do Brasil, e decida se vale ou não a pena.

Onde comer barato na capital da Hungria

Uma maneira de se salvar na hora de economizar e encher o buchinho, é procurando no Google Maps por restaurantes estrangeiros, como kebabs, comida tailandesa, vietnamita ou de outras nacionalidades e também pelo Subway ou Mac Donald’s que conhecemos no Brasil.

Quase ao lado do nosso hotel, que te falei mais acima quando contei onde se hospedar em Budapeste, havia um restaurante turco com kebab, falafel para os vegetarianos, um buffet com saladas e outras carnes, döner, que é um sanduíche montado em pão árabe, tipo o pão sírio que conhecemos aqui, e outras opções de lanches. Eles tanto faziam pratos prontos como no cardápio ou montavam pratos com as opções do buffet. O preço era muito bom. O nome dele é Ayasofya.

Outro lugar que achamos interessante e com preço legal é o Shopping WestEnd City Center, que possui uma praça de alimentação ampla e com várias opções.

Dica MnM:

Quando pesquisares restaurante, exemplo, digitando no Maps “kebab”, clique no pin que aparece no mapa que abaixo aparece o nome do restaurante, a nota que vai de 0 a 5 e as estrelas amarelas. Clicando nas estrelas e arrastando para cima, podes ver as avaliações dos clientes. Entramos numa fria em um kebab em Estrasburgo. O proprietário nos enrolou cobrando 6 euros a mais. Tentei questionar, mas ele disse que estava certo. E nas avaliações as pessoas diziam exatamente isso, que ele enganava na hora da cobrança.

Subway em liubliana

Clicando no pin vermelho, aparece a foto abaixo, as estrelas amarelas e a nota. Arrastando para cima, as avaliações dos clientes. Muito útil na escolha.

Comida húngara com bom preço

No free walking tour pelo bairro judeu, descobrimos este restaurante com comida húngara e preço muito bom. É o Drum Café Budapest. Ele fica na Budapest, Dob u. 2, 1072, Hungria. O legal é que o cardápio tem opção vegetariana, com carne, frango, sopa, noodles húngaros e até pizza. Um menu completo com entrada, prato principal e sobremesa custa 7,30 €. A pizza, uma média de 5 €. O ambiente é simples, mas gostamos muito de jantar neste restaurante. Vou deixar uma parte do cardápio abaixo para tu dar uma olhada.

menu restaurante húngaro em budapeste

onde comer barato em budapeste

cardápio restaurante budapeste

Roteiro personalizado e assessoria de viagem

Queres facilidade e um roteiro personalizado de o que fazer em Budapeste, capital da Hungria, ou para qualquer lugar do mundo? Sabia que o Mapa na Mão faz roteiro completamente personalizado? 100% de acordo com o teu gosto, com sugestão de lugares para comer, de como se locomover e com dicas especiais? Também podemos te ajudar a encontrar hospedagem que caiba no teu gosto e bolso e sem custo algum, além de passagens aéreas. Deixa um comentário abaixo ou nos envie um e-mail: contato@mapanamao.com ou mapanamaoviagens@gmail.com. Também podes entrar em contato através de nosso Whatsapp: 48 99933-1849. Saiba mais detalhes clicando no quadro abaixo, e viaje sem passar trabalho:

Assessoria de viagem

Segurança em Budapeste

Andamos pela cidade o tempo todo, de dia, de noite, e em momento algum sentimos medo ou insegurança. Ouvi falar que Budapeste é uma cidade segura. Claro, em todo o lugar do mundo deves cuidar dos teus pertences como celular, bolsa, carteira, câmera fotográfica. Sempre levamos estes objetos na frente do corpo e com cuidado.

Tomada

Pino duplo redondo:

IMG_5056

Clima em Budapeste no inverno

É frio em Budapeste no inverno. Porém, como vínhamos da Alemanha, até achei confortável o frio de lá. Pegamos temperatura de 4 a 7 graus e nada de chuva nos dias da nossa viagem. Foi bem tranquilo e agradável passear pela capital da Hungria, mesmo no inverno. Somente em um dia que ventava bastante, passamos mais frio. Mas anote as dicas do próximo tópico para uma viagem mais confortável.

O que levar na mala

Caso tu sejas menina, escrevi aqui sobre malas para viagem – a bagagem feminina perfeita. O legal é que deixei um check list tanto para o inverno, quanto para o verão. Leia ali, imprima a lista, que vai ajudar na hora de arrumar as malas.

Como neste tipo de viagem a gente caminha bastante, leve roupas e sapatos confortáveis.

No verão:

  • Calças leves e confortáveis;
  • Calçados muito confortáveis como tênis, sapatilhas ou até mesmo sandálias boas para caminhada;
  • Blusas ou camisetas leves e de manga curta;
  • Casaquinho, pois podem ter dias mais frescos ou mesmo para usar à noite;
  • Bermudas;
  • Vestidos, caso te agrade;
  • Protetor solar.

No inverno:

  • Calças confortáveis;
  • Blusas de manga longa finas e de lã para colocar por cima;
  • Casacos grossos;
  • Luvas, meias calças de lã ou ceroulas longas para pôr embaixo da caça, gorro, toca ou chapéu e cachecol;
  • Tênis ou botas, de preferência impermeáveis e quentes;
  • Hidratante labial e corporal;
  • Capa de chuva ou sombrinha, principalmente se estás viajando com crianças.

Quando ir à capital da Hungria

Eu não sou assim muito a favor de dizer “olha, vai em tal época para tal lugar”, tirando, claro, lugares com clima inóspito em algumas estações do ano. Isto porque há gosto para tudo nesta vida, não é mesmo? Tem gente que não gosta do frio, então, evite ir para Budapeste no inverno que sim, é uma cidade fria. Mas o verão europeu também pode não ser agradável, principalmente porque se anda bastante.

Nós fomos no inverno, como te contei no item acima. Estava frio, mas não deixou de ser uma viagem legal. Caso tenhas disponibilidade financeira e de férias, penso que o melhor clima é na primavera ou no outono, quando ainda não está nem tão quente, nem tão frio. Mas quer um conselho, hahahah? Vá. Anote estas dicas de Budapeste, a capital da Hungria, e vá de qualquer jeito e em qualquer momento, naquele que for melhor para ti.

Quantos dias ficar em Budapeste

Nós ficamos três dias inteiros e acho que este seria o tempo mínimo para aproveitar o melhor da capital da Hungria. Caso tenhas mais dias disponíveis, quatro, cinco, seria perfeito. Aí, inclua mais opções ao teu roteiro de o que fazer em Budapeste, como as que deixei como sugestão.

Moeda

Florim húngaro. Um florim equivale a 0,0032 euro. Leve euro em espécie, sempre lembrando que cartões de crédito internacionais são amplamente aceitos no local, mas vais pagar IOF na fatura depois. Aqui neste link podes verificar a cotação da moeda aí na tua cidade e ainda fazer uma proposta com valor menor. Costumo comprar ali, neste link, pois sempre consigo melhores valores que direto na casa de câmbio. Mas lembre de avisar à casa que fizeste a proposta no Melhor Câmbio para que o valor seja mantido e para receberes cupons de desconto de outros produtos via e-mail.

Aí com euro em mãos, podes trocar a quantidade que precisarás em um dia nas casas de câmbio espalhadas na cidade. Veja a informação do próximo tópico.

Onde trocar moeda na capital da Hungria

Na cidade há várias casas de câmbio. Então, não é interessante levar florim daqui. Nós levamos euros e trocamos lá, em algumas destas casas. Evite trocar em casas afiliadas da Western Union porque a cotação é desfavorável. Vou deixar aqui o nome e endereço de duas onde trocamos moeda e a cotação foi interessante.

  • Star Change – endereço: Budapest, Lipótváros, 1054 Hungria;
  • Change ao lado do Budapest Bank: Budapeste, Bajcsy-Zsilinszky út 3, Hungria.

Souvenirs

Não é difícil comprar souvenirs em Budapeste, pois há lojas espalhadas em vários lugares. No entanto, encontrei uma loja com preços mais interessantes e vou te deixar aqui como sugestão. É a Képesbolt, que fica bem próxima da praça Deak Ferenc, neste endereço – Budapest, Deák Ferenc tér 6, 1061 Hungria.

Como se locomover em Budapeste

O transporte público em Budapeste é simples e eficiente. Embora a maior parte dos passeios dê para fazer à pé, o que é uma delícia para respirar esta cidade vibrante, muitas vezes, na hora do cansaço ou pressa, o transporte público salva.

Para entrar no metrô não há catracas. Mas deve-se validar os tickets em máquinas logo na entrada. Nem pensar em entrar sem o ticket. Primeiro porque é feio. Segundo porque sempre há um fiscal por ali.

Neste site há várias informações sobre cada meio de transporte da capital da Hungria. Agora, caso queiras adquirir o Budapest card, um cartão que permite o uso de todos os transportes públicos, inclusive para o aeroporto, entrada gratuita em vários museus e desconto de até 50% em várias atrações como igrejas, museus, restaurantes, excursões, cruzeiro e outros, clique no quadrinho abaixo e confira. Não esquece de escolher a quantidade de dias de uso do cartão.

Budapest Card

Do aeroporto ao centro de forma mais econômica

Caso não compres o Budapest Card que inclui transporte até do aeroporto, a maneira mais barata de ir ao centro é de ônibus. O hotel onde nos hospedamos é interessante porque dá para ir do aeroporto até ele utilizando o ônibus 100E, sem conexão. Ele para a uma quadra do hotel.

Então, tanto dá para utilizar este ônibus, o 100E, quanto o 200E que levam passageiros do aeroporto ao centro, inclusive parando próxima a estações de metrô, como a Estação Astoria.

Língua

Húngaro, mas dá para se virar muito bem com o inglês. A maioria das pessoas com quem falamos conseguiam se comunicar nesta língua. Então, não terás problema em colocar em prática o teu roteiro de o que fazer em Budapeste.

Monte as tuas viagens aqui

Agora que tu já sabes o que fazer em Budapeste, a capital da Hungria, quer nos ajudar a manter o Mapa na Mão funcionando? É só usar os nossos links para planejar a tua viagem! NÃO PAGAS NADA A MAIS POR ISSO e ajudas a manter nosso trabalho de pé! E reservando com nossos parceiros, consegues ótimos preços e qualidade:

É só clicar nos quadros logo mais abaixo e pesquisar. Vou te deixar umas dicas:

Hotel ou apartamento: o Booking buscará opções para o lugar pesquisado e podes comparar preços e qualidade. Uma dica: dê uma olhada nas avaliações dos hóspedes antes de escolher. Está sem tempo ou com preguiça? Nós procuramos para ti sem custo. Ah, podes ainda fazer uma reserva com opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Então, garanta a tua reserva agora mesmo!

Aluguel de carro: site irá buscar os melhores preços em diversas locadoras, o que é muito legal. Podes pagar em real, sem a cobrança do IOF. Vais garantir carros mais baratos alugando com antecedência. Ainda, podes parcelar em 12 vezes no cartão ou pagar no boleto com 5% de desconto.

Seguro Viagem: olha só, com a Seguros Promo, utilize o nosso cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto. É legal cotar nas duas empresas dos quadros abaixo (Real e Seguros Promo) para escolher o melhor. Ah, e por experiência própria, os valores destes dois sites geralmente são melhores que de agências, isso porque eles cotam em várias seguradoras. O pagamento pode ser em até 12 parcelas no cartão ou com mais desconto no boleto. Ficou com alguma dúvida? Clique e leia aqui tudo sobre seguro viagem.

E mais…

Chip para celular: chegue tranquilo com o celular funcionando no teu destino. Comprando pelo link do Mapa na Mão, é só incluir o código de cupom RBBVGRATIS e não vais pagar frete! Queres saber se vale a pena ou não sair do Brasil com chip? Leia aqui tudo sobre o chip internacional da Easysim4U.

Passeios e atrações pelo mundo afora: compre antes da viagem para evitar filas, o término dos tickets e surpresas no orçamento. Temos 3 parceiros ali abaixo: Get Your Guide, Tiqets e Touron. Clique e confira!

Câmbio (compra de moeda): faça uma proposta para a agência de câmbio da tua cidade. Caso ela aceite a proposta, vais receber um e-mail confirmando. Corra para finalizar a transação e garantir o valor. Além de comprar moeda com valores melhores, no final da negociação vais receber um email com cupons de desconto para alguns produtos. Então, confirme que queres finalizar a compra através da proposta feita no site Melhor Câmbio.

Curtidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Monte sua viagem

Ou nós montamos para você

Michela
Michela
Voltar

Eu sou o Dilamar, Bacharel em Direito, viajante nas horas vagas e não vagas. Sou admirador de viagens rodoviárias, principalmente aquelas bem longas e focadas em regiões montanhosas. E também sou ciclista amador e apaixonado por motos.

Eu sou a Letícia, tenho 14 anos e sou estudante. Gosto muito de pintar quadros, escrever poemas, ler e, principalmente, viajar. Para mim, o mundo é o meu quintal.

Eu sou a Ester. Tenho 26 anos e sou estudante de medicina. Moro em Floripa, sou apaixonada por Paris e frequentadora assídua de São Paulo, mas com os pés sempre em Criciúma, minha cidade natal. Amo sair do lugar, seja por poucos metros ou por muitos quilômetros, e de todas as formas possíveis. Das mais confortáveis viagens de trem às mais insanas viagens de carro. Conhecer o desconhecido me fascina! Viajar é minha maior paixão, mas devo arriscar dizer que sou quase tão apaixonada por montar os roteiros antes de viajar quanto pela viagem em si!

Olá, eu sou a Michela, Bacharela em Direito, pós graduada em Direito Constitucional, colecionadora de ímãs e de viagens. Conheci mais de 20 países, aliás, muito mais do que um dia imaginei conseguir, e vários recantos escondidos bem aqui pertinho de mim. Se canso? Jamais. Isso só aguça ainda mais meu desejo de percorrer este mundão. O que mais amo? Deus, minha família e viajar, claro.