Logo Mapa Na Mão

O que fazer em Tel Aviv – as melhores dicas, roteiro completo

publicado em: 15/04/2020 atualizado em: 15/04/2020

A capital de Israel é vibrante. O moderno se mistura com o antigo. Há história, beleza, arte. As lindas praias vêm então para fechar o pacote. Sim, vale a pena conhecer esta cidade. Eu quero te dar dicas aqui de o que fazer em Tel Aviv. E depois, ainda quero te deixar dicas para aproveitar melhor a cidade. Vamos comigo?

Querido leitor – DESCONTO de 10% só aqui no blog:
O seguro viagem não pode faltar na tua viagem, mesmo para as nacionais. Uma doença, um acidente, a perda da mala, o cancelamento do voo, podem estragar as férias. E o seguro não é caro. Por isso, vale a pena.
* Brasil: aproximadamente 5 reais por dia.
* Europa: aproximadamente 20 reais por dia.
** Clique aqui e faça a cotação do seguro, sem custo. Este link já garante 10% de desconto aos leitores do Mapa na Mão.

Antes de te mostrar o que fazer em Tel Aviv, quero te convidar a assinar nossa newsletter e receber e-mails atualizados com todas as novidades e promoções do blog. Não quer mais receber? Simples, é só sair da lista a qualquer momento. Deixe seu e-mail no campo abaixo. Não compartilhamos seus dados com ninguém, pode ficar tranquilo.

O que fazer em Tel Aviv

Olha só, vou te contar o que fizemos e também o que não conseguimos fazer, mas acho interessante. Assim, podes montar o teu roteiro do jeito que tu quiseres e de acordo com o tempo que tens na cidade. E mais ainda ao final, vou te dar também importantes dicas para o teu planejamento. Espero que gostes. E caso tenhas outras dicas ou sugestões, por favor, deixe nos comentários. Assim, ajudamos outros viajantes a planejarem também sua viagem.

Eu tenho certeza que tu vais amar este post que fiz sobre o que fazer em Jerusalém. Aproveite e abra aí em outra aba para ver depois. Lindo!

Onde se hospedar em Tel Aviv

Só uma pausa no roteiro para falar de algo muito importante – a hospedagem. É que ela é cara em Tel Aviv. Então, o quanto antes tu puderes reservar, melhor. Assim vais encontrar mais opções e preços melhores. Nem vou indicar o hotel onde ficamos. Deixamos para reservar em cima da hora e deu nisso, hahahah. Chuveiro terrível, café da manhã na recepção ruim e longe do centro da cidade.

Mas vou deixar neste quadrinho laranja abaixo as opções que há na cidade. Assim, podes filtrar, por exemplo, por preço mais baixo e escolher aquele que mais te agrada. Dica: antes de reservar, olhe a nota e as avaliações dos hóspedes.

Hospedagem em Tel Aviv

Tour arquitetônico, de comida e de arte de rua

Arquitetônico

Nós fizemos este passeio guiado com a Tourist Israel. Mas também é possível adquirir on-line e antecipadamente neste link. É um passeio de dia todo, que se inicia às 9h45 em frente ao Café 65, na Rothschild Blvd 65, e termina por volta das 17h. Percorremos esta, que é uma avenida importante da cidade, onde o nosso guia nos mostrou construções antigas, desde o tempo da fundação de Tel Aviv, que ocorreu em 1909.

Nos mostrou a forte influência do estilo arquitetônico Bauhaus, trazido da Alemanha durante a fuga de judeus para Israel. Tel Aviv possui a maior coleção de edificações neste estilo do mundo. O Bauhaus se mistura ao eclético em várias construções históricas na cidade. E os edifícios modernos estão ali, misturados a tudo isto. Um lugar muito bonito que vale uma caminhada sem pressa.

Conhecemos também o Founders Monument and Fountain, o monumento em memória aos fundadores de Tel Aviv. Ali há placa com os nomes das famílias, um bonito mural de metal que conta as fases da cidade. Há também uma fonte, tudo em uma pequena pracinha. No mural, a primeira fase retrata os homens tirando areia para as construções. Isto porque no início, Tel Aviv só tinha areia. No meio, as casas da época da fundação com o colégio ao centro. Na linha de cima, as construções mais modernas. O interessante é que os edifícios do topo ainda não existiam quando o mural foi feito, mas o artista previu os arranha-céus que, de fato, hoje existem.

arquitetura Bauhaus

Aí, uma construção em estilo Bauhaus.

De comida

Caminhamos em direção ao Shuk Hacarmel ou Carmel Market. Um mercado público com várias barraquinhas. No caminho, passamos pela Rua Nahalat Binyamin, onde funciona uma feirinha de artesanato terças e sextas. No Carmel Market há também artesanatos, souvenirs, lanches, sementes e castanhas, azeitonas, frutas, sucos, doces árabes, como um mercado público. Este é o mercado mais popular da cidade e não pode ficar de fora do roteiro de o que fazer em Tel Aviv.

Primeiro paramos bem no início do mercado, numa barraca de sucos, e provamos sucos e outros produtos naturais, como creme para mãos. Depois, prova de pão típico sem fermento. Depois provamos outro tipo de pão folheado em uma padaria e azeitonas. No final, a sobremesa, numa barraca com doces árabes. Comemos um com base de cream cheese, mas ali há vários baklavas, doce típico turco.

Arte de rua

Por fim, visitamos o bairro mais ao sul de Tel Aviv e também o mais popular, onde encontram-se grafites espalhados por muros, paredes e portas. O Florentin. O grafite é algo ilegal no país, exceto quando proprietários pedem para fazer em seus edifícios. Virou um local de passeio. No final, o guia nos indicou a Sorveteria Anita, a mais famosa da cidade. Não perdemos a oportunidade, heheheh, e provamos. Boa mesmo.

Sabes um passeio imperdível para quem está em Israel? Mar Morto, Massada e Ein Gedi. Leia aí o que escrevi e te apaixones também.

street art

Rothschild Boulevard

Caso tu não faças o tour que contei no item anterior, vale a pena conhecer esta, que é uma das atrações principais do tour. Isto porque está é uma importante rua da cidade, com lojas e restaurantes. Também mistura a arquitetura antiga, muitas delas em estilo Bauhaus, com a nova, moderna, e que abriga importantes empresas, como Facebook.

Então caso não contrates um tour, coloque esta rua no teu roteiro de o que fazer em Tel Aviv e caminhe sem pressa por ela.

Arquitetura Bauhaus: este estilo de construção foi trazida por judeus da Alemanha durante o período da Segunda Guerra. Eles precisavam construir edifícios rapidamente para abrigar os imigrantes que chegavam. Por isso eles possuem linhas retas e sem muitos detalhes, ou enfeites. Alguns com sacadas arredondadas no canto. A maioria é pintada na cor branca, por causa do calor que faz em Tel Aviv. Por isso ela também é chamada de Cidade Branca.

founders monument and fountain

Este acima é o monumento com a placa na Founders Monument and Fountain que te falei no tópico anterior.

Nahalat Binyamin

Como te contei acima, caso tu estejas em Tel Aviv terça ou sexta, podes incluir uma passada na Nahalat Binyamin. Ali, na rua para pedestres, ocorre a feira de artesanato onde mais de 200 artesãos e artistas israelenses expõem seus produtos. Ela inicia às 10 horas.

Ah, olha só. Não viaje sem antes ler estas 17 dicas de Israel que escrevi para que a tua viagem seja perfeita.

Carmel Market

Esta foi mais uma das minhas atrações preferidas. Conhecemos no primeiro dia no tour que te contei no primeiro tópico, mas voltamos também no último dia para aproveitar melhor o mercado. Este é o mercado público mais popular da cidade. Possui muitas lojas. Roupas, souvenirs, objetos para casa, lanchonetes, frutas, verduras, temperos e especiarias, doces, pães, castanhas, azeitonas e muita, mas muita gente caminhando e comprando.

Eu encontrei on-line este cartão de degustação no Mercado Carmel. Não experimentei, mas parece bem legal. Caso queiras experimentar quitutes, dá para comprar antes e usar lá. E há ainda esta opção de excursão de 2 horas pelo mercado com almoço.

O Carmel Market não funciona aos sábados por ser o dia santo.

Eu amo estes mercados públicos. Se também é o teu caso, inclua aí na lista de o que fazer em Tel Aviv e aproveite.

carmel market

Quase dá para sentir os aromas, né? Hummmm

Dizengoff Square

Dá para ir caminhando da região do Carmel Market até a região da Dizengoff Square. Leva em torno de 20 minutos. É um local bem movimentado, com muitas lojas, lanchonetes, restaurantes, shopping. Há lojas famosas como Nike e Zara. Caminhe também pela rua de mesmo nome, Dizengoff Street. Destaque para as lojinhas de sucos com frutas muito bonitas e coloridas.

No centro da Dizengoff Square, um chafariz. Obra de arte do artista israelense Yaacov Agam. É denominada Fire and Water Fountain. Vi vídeos no Youtube dela iluminada, com efeitos visuais de ilusão de ótica. Uma pena que ao vivo apenas a vimos em sua cor original.

Parking: ah, estacionamos o carro no Dizengoff Center e pagamos 24 shekels por aproximadamente 3 horas.

Dizengoff Square Tel Aviv

Marina de Tel Aviv

Deixamos nosso carro num estacionamento bem ao lado do Olympia Hotel, mas não recomendo. Não entendemos a placa em hebraico e não havia atendente. Sabes quanto pelas 7 horas que o carro ficou ali? 150 Shekels, algo em torno de 186 Reais! Pensei em vender um rim, mas ia atrapalhar a viagem. Tá doido. Bem, se estiveres de carro, procure por um estacionamento mais longe do mar e com preço mais acessível. Uma dica é caminhar a partir da atração anterior, já deixando o carro lá. É possível também ir da Dizengoff até a Marina à pé.

Caminhamos até a marina. Há uma vista bonita de cima, de um deck, onde há um restaurante. Descemos, e caminhamos bem ao lado da marina, onde há um passeio, um local para caminhada. Sentamos nas pedras para apreciar o mar e pegar um solzinho. Foi gostoso.

marina de Tel Aviv

Orla de Tel Aviv

Da marina, caminhamos pela orla de Tel Aviv, em direção ao bairro Neve Tzedek, que é a próxima atração. Caminhamos sem pressa nenhuma, olhando o mar, sentando por bancos na orla, vendo as pessoas praticando esportes, surfando. Foi um momento muito bom do passeio. Na areia há redes de vôlei, playgrounds, academias ao ar livre, restaurantes. Ah, em cima dos restaurantes há decks com vista alta da praia e do mar. Muito legal para sentar também e deixar o tempo passar.

No calçadão, ciclovia, aluguel de bikes e patinetes. É possível alugar as bikes diretamente no local, através dos totens. Já os patinetes, somente por aplicativo. Na avenida, bonitos edifícios que também apreciamos na caminhada.

Mais um ponto imperdível da lista de o que fazer em Tel Aviv.

o que fazer em Tel Aviv

Neve Tzedek – o que fazer em Tel Aviv

Na orla, colocamos a rua Shabazi Street no Google Maps para entramos no Bairro Neve Tzedek. Este é o bairro mais antigo de Tel Aviv. Nesta rua principal, e também nas que a cruzam, simpáticas residências antigas, lojas, sorveteria, bares, lanchonetes. Dentre as lojas, destaque para a cooperativa de 14 artistas locais especializados em cerâmica, a Chomer Tov Ceramics Gallery. Também a Badim que possui almofadas coloridas e a Art Maroc com peças de decoração.

Gostas de arte? Aprecias pintura? Então vais gostar de conhecer o Museu de Arte Nahum Gutman. Um museu com mais de 200 obras de arte do estimado artista israelita Nahum Gutman, de pinturas antigas a livros infantis ilustrados e que fica em Neve Tzedez. Mas adquira a entrada antecipadamente e sem filas aqui.

neve tzedek

Olha a graça desta fachada e esta porta!

Old Jaffa – o que fazer em Tel Aviv

Caminhamos até o final da Shabazi, chegando a uma pequena pracinha. Colocamos a Old Jaffa no Maps, que já estava ali perto. Chegamos na The Clock Tower, ou Torre do Relógio, entrada principal da antiga cidade. Esta torre foi erguida em 1903 e é feita de calcário. Sua arquitetura é em estilo otomano.

Caminhamos sem pressa pela Old Jaffa. Foi a minha atração preferida, além da orla com suas praias. Por isso, a Old Jaffa não pode ficar de fora do roteiro de o que fazer em Tel Aviv.

A rua da Torre do Relógio, ou Yefet Street é a mais movimentada, com muitas lojas, restaurantes, lanchonetes, souvenirs. Nesta rua há opções com bom preço para comer. Há uma padaria com muitos itens doces e salgados, a Abouelafia. Em frente, um restaurante que vende kebab. Nele, o falafel com pão, saladas, molhos custa 20 shekels e o falafel no prato, também com saladas, molhos e húmus custa 30. Ao lado deste restaurante, um que vende cachorro quente.

Podes também fazer um tour com guia local pelo mercado de pulgas com degustação de pratos e quitutes regionais. Mas é preciso comprar on-line antecipadamente aqui.

the clock tower old Jaffa

Esta aí é a Torre do Relógio. Linda, né?

Outras atrações na Old Jaffa

Na Old Jaffa ainda vais encontrar o porto e a marina. Bem em frente há restaurantes charmosos com uma linda vista. A parte alta, onde tem o Bell Café, que é um charme. Nesta mesma parte alta fica a St. Peter’s Church e um chafariz ao lado. Ah, no Bell Café jantamos falafel com húmus por 39 shekels e frango e fritas por 59. O local é pequeno, mas bem gostoso com uma vista linda. Para mesas com a melhor vista, é necessário reservar.

Um pouco mais adiante, quando começa a descer a montanha, uma linda vista do mar e um quadro para fotos que faz uma moldura. Há também no lugar a Al Bahr Mosque, uma mesquita na beira do mar. E também a antiga fonte da cidade e ao lado da torre do relógio, a Saraya House com grandes colunas. A Saraya foi residência do Governo Turco.

Aproveite também para caminhar pela Yehuda HaYammit de onde se tem uma vista por outro ângulo e bem bonita da Old Jaffa.

old Jaffa Israel

Este aí é o quadro de fotos que te falei acima.

Pôr do sol em Old Jaffa ou na orla

Nós amamos tanto a Old Jaffa que retornamos no nosso último dia em Tel Aviv para aproveitar um pouco mais e assistir ao pôr do sol. Sentamos em um café bem em frente ao mar e ao lado da marina e foi perfeita a visão. Dali, vimos o sol mergulhando no mar. Caminhamos mais um pouco na Old Jaffa até anoitecer bem. E esta é a melhor forma de aproveitar o local. Caminhando, sem pressa nenhuma. Sem dúvida, Old Jaffa foi meu lugar preferido no roteiro de o que fazer em Tel Aviv.

por do sol old jaffa

Yarkon Park

Se gostas de verde, de natureza, vale a pena conhecer. Porém, achamos um pouco descuidado e vazio. Pelo menos o jardim de pedras. Achei que poderia ser mais cuidado. Mas li relatos elogiando. Então, de repente não pegamos num ótimo dia. Mas, sem dúvida, é um refúgio verde na cidade. Mas eu somente acrescentaria com tempo.

Este é considerado o parque mais bonito da cidade. Há 6 jardins, entre eles, o de rocha ou pedras.

Agora vou te dar outras sugestões que não conseguimos incluir no nosso roteiro de o que fazer em Tel Aviv, mas pode te ajudar nas escolhas. Assim, podes preparar o teu próprio roteiro, de acordo com o teu gosto e com o tempo por lá.

yarkon park

Levinsky Market

Não deu tempo de conhecer o Levinsky Market, mais um mercado público de Tel Aviv. Mas li que é muito legal para tirar fotos e que possui muitas especiarias. Além disso, frutas secas, queijos finos, conservas, doces tradicionais e outros produtos.

Há também um cartão de degustação pelo Mercado Levinsky. Caso queiras experimentar, é só garantir antecipadamente e on-line aqui.

E também achei interessante esta excursão de 2 horas pelo mercado com almoço. Parece legal.

Tour de bike com guia

A cidade possui muitas ciclovias e é possível conhecer uma parte dela neste tour de 3 horas de bike com guia. Reserve on-line aqui e leve água.

Excursão gastronômica de 2 horas com degustação

Nesta excursão vais fazer um curso intensivo de comida de rua israelense e ainda experimentar pratos locais enquanto passeia pelas famosas barracas de comida de rua. Veja detalhes e reserve antes aqui.

1 hora de Segway

Não sabe o que é um segway? Clique aqui e veja mais deste passeio. É um passeio de uma hora com guia pela orla e por Jaffa.

Excursão Guiada de 3 Dias a Petra e Wadi Rum

Uma pausa para lágrimas, buá!! Eu sonhava em ir para Petra nesta viagem. Mas não deu. Eram tantas informações, estávamos de carro, enfim, acabou não dando certo. Mas olha só o que encontrei. Uma excursão com guia pela Jordânia. Ela passa por lugares extraordinários como a antiga cidade romana de Gérasa, a contrastante capital moderna de Amã, a impressionante paisagem de Petra e o vasto deserto de Wadi Rum.

Dá uma olhada aqui em tudo o que inclui e reserve antecipadamente por este link.

Mas se queres fazer um bate-e-volta até Petra de avião, também é possível saindo de Tel Aviv. Dá uma olhada aqui.

 Voo de Balão de 15 Minutos

Este é um voo de balão suspenso de 15 minutos sobre Tel Aviv e com preço bem legal. Confira e reserve aqui.

Outros passeios para o roteiro de o que fazer em Tel Aviv

Se queres conferir todos os passeios pagos que encontrei com a Get Your Guide, incluindo passeios a outras cidades como Jerusalém, Massada, Mar Morto, Nazaré, Belém, clica no quadrinho laranja a seguir e confira.

Passeios em Tel Aviv

Aluguel de carro

Nós alugamos um carro em Tel Aviv e não nos arrependemos. Aproveitamos bastante a cidade. É possível também utilizar o transporte público e também caminhar bastante. Mas caso queiras também alugar um carro, clique no quadrinho abaixo para cotar os melhores valores em diversas locadoras.

Faça aqui a cotação entre dezenas de locadoras de carros

Não vá sem seguro viagem

Eu não viajo para o exterior sem seguro viagem. Não vale a pena arriscar, pois qualquer problema, de um simples extravio de mala até uma consulta médica, pode estragar a viagem. E não é caro.

Neste post escrevi tudo sobre seguro viagem – como fazer, porquê fazer, etc. O valor não é tão alto. Vou deixar dois links abaixo para dares uma olhada. Ambas as empresas fazem cotações em várias seguradoras e podes escolher a cobertura que mais te agrada, além, claro, do preço que cabe no teu bolso. E por experiência própria, há opções com preços bem interessantes.

Ah, olha só, no Seguros Promo, caso seja mais interessante o seguro escolhido, utilize o cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto. E caso pagues com boleto, mais 5%.

Pesquise aqui com a Real Seguros        

Aqui com a Seguros Promo

Chip de internet ilimitada

Nós utilizamos este chip da Easysim4U em Tel Aviv na nossa viagem e funcionou. Algumas vezes ficava lenta a internet, mas para os mapas e WhatsApp funcionou bem. Queres saber todos os detalhes? Leia aqui o que escrevi sobre chip de internet ilimitada para usar fora do Brasil, e decida se vale ou não a pena.

Quantos dias para conhecer Tel Aviv

A minha dica é, fique ao menos 3 dias em Tel Aviv. Muitas destas atrações deste roteiro de o que fazer em Tel Aviv são gostosas demais. Uma merecem um retorno. Então, para aproveitar a cidade, 3 ou 4 dias seria o ideal.

Quando ir em Tel Aviv

Nós fomos em janeiro, inverno em Israel. O clima estava agradável, mas com vento friozinho em alguns momentos. Banho de mar não dava. Então, caso queiras curtir uma praia, escolha a primavera ou o verão, ou seja, de abril a setembro. Mas se esta não for a tua ideia e caso queiras fugir do calor, escolha outono ou inverno, ou até mesmo a primavera.

Estacionamentos em Tel Aviv

As coisas não são baratas em Israel. O estacionamento, se tu não cuidares, pode custar uma fortuna. Caímos numa cilada destas, por escolher um parking com placa em hebraico. Como assim? Fomos na dedução e nos ferramos, hahahaha.

Então, caso tu não fales hebraico, escolha um estacionamento com placa em inglês e tenhas certeza de que entendeste as tarifas. Muitos são automáticos, sem atendente. Portanto, é importante que fique bem claro para ti.

Viaje por conta própria e economize muito

Planejar a própria viagem é uma forma de ter liberdade e economizar. Além disso, usando os links abaixo, sem custo adicional algum, vais ajudar a manter o Mapa na Mão funcionando. Você NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO e ajuda a manter nosso trabalho de pé!

Hotel ou apartamento: Booking – compare preços e qualidade. Podes ainda fazer reserva com opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in.

Aluguel de carro: Rentcars – os melhores preços em diversas locadoras. Pague em real, sem o IOF. Carros mais baratos alugando com antecedência. Podes parcelar em 12 vezes no cartão ou pagar no boleto com 5% de desconto.

Seguro Viagem: Real – nosso link exclusivo já dá 10% de desconto. Seguros Promoutilize o nosso cupom MAPANAMAO5 e ganhe 5% de desconto. Cote nas duas e escolha o melhor. Por experiência própria, os valores destes dois sites geralmente são melhores que de agências.

Aéreo: Passagens Promo 

Outras informações para reservar tudo sozinho: monte a tua viagem sozinho 

Michela
Michela
Curtidas

4 respostas para “O que fazer em Tel Aviv – as melhores dicas, roteiro completo”

  1. […] escrevi sobre o que fazer em Tel Aviv. Abre também em outra aba, porque vale a pena incluir a capital em uma viagem para Israel. Eu sei […]

  2. […] escrevi sobre o que fazer em Tel Aviv. Abre também em outra aba, porque vale a pena incluir a capital em uma viagem para Israel. Eu sei […]

  3. […] escrevi sobre o que fazer em Tel Aviv. Abre também em outra aba, porque vale a pena incluir a capital em uma viagem para Israel. Eu sei […]

  4. […] escrevi sobre o que fazer em Tel Aviv. Abre também em outra aba, porque vale a pena incluir a capital em uma viagem para Israel. Eu sei […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Monte sua viagem

Ou nós montamos para você

Voltar

Eu sou o Dilamar, Bacharel em Direito, viajante nas horas vagas e não vagas. Sou admirador de viagens rodoviárias, principalmente aquelas bem longas e focadas em regiões montanhosas. E também sou ciclista amador e apaixonado por motos.

Eu sou a Letícia, tenho 16 anos e estou no terceiro ano do ensino médio. Gosto muito de ler, desenhar, pesquisar e, é claro, viajar. Quando viajo, procuro sempre conhecer a história do local. Ser fascinada por esse aspecto explica o meu grande sonho: visitar o Egito e conhecer um pouco mais dessa civilização antiga.

Eu sou a Ester. Tenho 28 anos e sou médica. Moro em Florianópolis, sou apaixonada por Paris e frequentadora assídua de São Paulo, mas com os pés sempre em Criciúma, minha cidade natal. Amo sair do lugar, seja por poucos metros ou por muitos quilômetros, e de todas as formas possíveis. Das mais confortáveis viagens de trem às mais insanas viagens de carro. Conhecer o desconhecido me fascina! Viajar é minha maior paixão, mas devo arriscar dizer que sou quase tão apaixonada por montar os roteiros antes de viajar quanto pela viagem em si!

Olá, eu sou a Michela, Bacharela em Direito, pós graduada em Direito Constitucional, colecionadora de ímãs e de viagens. Conheci mais de 20 países, aliás, muito mais do que um dia imaginei conseguir, e vários recantos escondidos bem aqui pertinho de mim. Se canso? Jamais. Isso só aguça ainda mais meu desejo de percorrer este mundão. O que mais amo? Deus, minha família e viajar, claro.