ASSESSORIA DE VIAGENS
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type

Visita Guiada à Sala São Paulo, em SP (e concerto gratuito todo domingo!)

publicado em: 31/10/2017 atualizado em: 31/10/2017

Sou fã de cidades e instituições que incentivam a cultura através da promoção de eventos a preços módicos ou gratuitos. Isso acontece com a Sala São Paulo e sua Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Eles promovem, em alguns domingos do mês, um concerto gratuito seguido de visita guiada ao local, também gratuita. Vem comigo que te conto todos os detalhes deste espetáculo!

sala sao paulo

Fundos da Sala São Paulo

 

Confira outros posts sobre São Paulo:

Curtindo o melhor de São Paulo em 1 dia – as 7 melhores atrações

Eataly SP – Guia completo: O que vale a pena?

Tour pelo Edifício Matarazzo, em São Paulo – gratuito e nota 10!

Tour autoguiado de arquitetura pelo centro de São Paulo – como funciona?

Review: Sal Gastronomia, o restaurante do Fogaça

 

Visita guiada à Sala São Paulo:

A Sala São Paulo foi inaugurada em 1999 na antiga estação Júlio Prestes, bem no Centro de São Paulo. Seu primeiro concerto foi assistido pelos operários que trabalharam na construção da sala. Ela foi idealizada pelo governador Mário Covas e sua construção levou 20 meses. A Sala foi criada para ser a sede da Orquestra Sinfônica do estado de São Paulo – OSESP, que conta com mais de 100 músicos.
visita-guiada-sala-sao-paulo

Antiga sala de espera da estação Julio Prestes

Um pouco de história:

A Estação Júlio Prestes foi inaugurada na década de 1920 para ser a sede da então fortíssima Cia Sorocabana de Café. Esta companhia era responsável pelo transporte do café de trem do interior do país para o litoral de SP, para então ser exportado. Com o passar das décadas e a abertura da economia brasileira, a Cia Sorocabana foi perdendo mercado. Logo, a Estação Júlio Prestes tornou-se, em pouco tempo, um grande espaço sem uso.

Com a aproximação do século XXI, a região do centro de São Paulo, antes ocupada pela elite cafeeira, foi se tornando um reduto de pessoas simples. Isto porque imigrantes chegavam à cidade naquela região (onde ficava a rodoviária) e, sem emprego ou dinheiro, iniciavam a construção de cortiços por ali. Isso conta a história, inclusive, do surgimento do bairro de Higienópolis, bairro de classe alta para onde foi toda a antiga elite – e que fica bem ao ladinho do centro, algo que eu nunca tinha entendido, até ter a explicação nessa visita!.

Com a chegada do crack à cidade, a região acabou virando reduto de pessoas em situação de rua, algumas por conta do uso dessa droga. Nos últimos anos, a Prefeitura tem tentado reverter esse processo de degradação do centro da cidade ao levar concertos acessíveis para salas do centro, como o Teatro Municipal e a Sala São Paulo.

programação sala são paulo

Detalhes da antiga Estação

Os ingressos para o concerto gratuito na Sala São Paulo:

Fiquei sabendo desse concerto há algum tempinho, e desde então quis ir. Tentei planejar para ir na minha primeira visita ao namorado, mas há um pequeno detalhe: os ingressos gratuitos devem ser retirados presencialmente na bilheteria da Sala São Paulo a partir da segunda feira anterior ao evento. Eles costumam acabar na terça feira, segundo a funcionária da bilheteria (mas isso é uma média. Não dá para garantir que ainda haverá ingressos na terça-feira). Acontece que o namorado só pôde passar lá na quarta feira, quando os ingressos já tinham acabado. Por isso tive de adiar um pouco a visita à Sala. 

Eu recomendo passar já na segunda-feira o mais cedo possível para garantir, e, se não quiser arriscar, dê uma ligada para o número 11 3223 3966 para perguntar se ainda há ingressos.

Os concertos acontecem em quase todos os domingos do mês, às 11h. Para conferir o calendário de apresentações, é só clicar nesse link.

sala sao paulo

A Sala São Paulo por dentro:

A engenharia da Sala São Paulo é incrível, toda projetada por engenheiros especializados em acústica. Cada detalhe tem um por quê. Antes da visita, durante o concerto, eu estava admirando toda aquela arquitetura, achando curioso o fato de a estrutura da sala de concertos ter um estilo diferente do prédio. Aliás, ela é diferente de várias outras salas de concerto da cidade, como o Teatro Municipal. Isto denuncia, inclusive, que as construções são de épocas bem diferentes. Também observei a riqueza de detalhes, achando que o propósito de todos eles era meramente estético.

Quando chegou a hora da visita, eu fiquei absurdamente deslumbrada com a história de cada detalhe. A sala é toda pensada para que não haja eco, de forma que até os estofados das cadeiras foram projetados para que absorvam e reflitam a mesma quantidade de som que o corpo de uma pessoa. Olha só que incrível!  Mesmo que o concerto não esteja lotado, as cadeiras funcionam como pessoas, sem mudar o som de quando a sala está lotada. E não há eco mesmo quando a sala está vazia! O guia da visita inclusive nos convida a fazer um teste batendo palmas dentro da Sala vazia – o eco é mínimo.

Também fiquei observando, durante o concerto, detalhes na madeira das cadeiras e dos balcões da Sala. Havia várias ranhuras e detalhes bem pequenos, e pensei “que decorador minucioso”. Hahaha! Ledo engano: os detalhes se repetem de forma igual em cada cadeira e balcão, permitindo que o som vá sendo refletido entre todos esses espaços, evitando o eco e garantindo a transmissão do som para todos da plateia.

Outra característica da sala é o seu forro móvel. Veja bem: algumas músicas, no passado, eram compostas para serem tocadas em ambientes pequenos como igrejas, e outras compostas para serem tocadas em ambientes amplos como enormes salas de concerto. Os geniais músicos tomavam isso em consideração na hora de compor. Mas a Sala São Paulo é capaz de transmitir todas essas músicas com qualidade por conta de seu forro móvel: as placas do teto, ao irem para cima e para baixo através dos motores capazes de mexer módulos que chegam a pesar toneladas, transformam a sala em um espaço amplo, quando o forro está alto, ou menor, quando o forro está baixo e, antes de cada apresentação, essas placas são adaptadas à música a ser tocada.

Outro desafio foi transformar um prédio quase centenário e cheio de detalhes em uma sala apta a receber concertos de grande qualidade. Foi preciso, ao mesmo tempo que respeitar normas acerca de reforma do local, valorizar a linda arquitetura da Estação Julio Prestes. Tanto que a arquitetura da Sala São Paulo parece mais neutra, sem querer brigar com a da Estação. Além desta valorização da estação, tudo foi também pensado para ser um espaço funcional. Os balcões, por exemplo, são individuais e não contínuos, para não haver uma total sobreposição em relação à arquitetura original.

Detalhes na madeira

Horários das visitas:

As visitas monitoradas à Sala São Paulo acontecem de segunda à sexta feira, às 13 e às 16:30h, aos sábados às 13:30 e aos domingos às 13h. Aos sábados e domingos, a visita é gratuita e, durante a semana, é cobrado um valor de 5 reais (com meia para estudantes, aposentados e maiores de 60 anos).

Mas atenção: o agendamento não é obrigatório, mas é super bem-vindo, até porque é relativamente comum que as visitas sejam canceladas em alguns dias. Então é bom mandar um email antes para reservar sua vaga e para garantir que realmente vai rolar visita naquele dia. É só mandar um email para visita@osesp.art.br falando a data desejada, o horário e quantas pessoas vão. Não é necessária muita antecedência. Acho que dá até para arriscar ir sem agendamento caso não tenhas conseguido fazê-lo antes, mas é melhor agendar para garantir! Também dá para ligar para 11 3367 9573.

Será que gostei?

A visita é imperdível! Fiquei maravilhada com tantos detalhes da história da Estação e da Sala.  De quebra ainda entendi o por que de o centro, com seus prédios históricos lindíssimos, ter sido degradado ao longo do tempo. Também descobri porque o bairro de Higienópolis, tão luxuoso, faz fronteira com o centro. A visita à Sala São Paulo foi, sem dúvida, um dos meus passeios preferidos em SP!

programação sala são paulo

Detalhes meeeeeesmo! E eu achando que era uma decoração minuciosa hahaha

 

osesp-sala-são-paulo

Detalhes do teto retrátil

Onde se hospedar em São Paulo:

Hotel com ótima localização:

Meliá Paulista (clique, avalie e reserve) – este hotel fica na Av. Paulista, próximo de restaurantes, bares, lojas e shoppings e bem em frente à estação de metrô Consolação. Neste post fizemos uma avaliação completa do hotel. Leia e confira.

Hotel com ótima qualidade:

Holiday Inn Parque Anhembi (clique e reserve) – este é o maior hotel da América do Sul, com ótimo café da manhã não incluso na diária, transfer para a estação de metrô Portuguesa – Tietê e avaliado como muito bom pelos clientes. Leia aqui nossa avaliação completa sobre o hotel.

Hotel com ótimo custo x benefício:

Ibis Style São Paulo Anhembi (clique e avalie) – o Ibis Style fica bem ao lado da estação Portuguesa – Tietê de metrô e rodoviária, ou seja, possui uma ótima localização, porém em um lugar com alguns moradores de rua. No entanto, já nos hospedamos algumas vezes lá e não vimos nenhuma situação de perigo (claro que sempre é bom tomar certos cuidados). Porém, este hotel tem um ótimo preço e café da manhã bem gostoso incluído.

Outras opções de hospedagem em São Paulo: 

Fizemos uma seleção de hotéis (é só clicar aqui) ordenada pelas principais escolhas do site. Porém, logo no início, antes dos hotéis, podes escolher outros filtros como preço mais baixo primeiro, distância do centro da cidade, estrelas, e outros. Na coluna laranja à esquerda, preencha os campos com a data da entrada e da saída, o número de quartos, de adultos e crianças e clique em pesquisar. Só depois escolha o filtro que mais te agrada. Escolha teu hotel clicando nele e finalize a reserva. Qualquer dúvida, é só mandar nos comentários lá embaixo. Boa estada!

Monte sua viagem aqui:

Agora que já sabes o quanto é legal visitar a Sala São Paulo, podemos ajudar na economia das tuas viagens  com estes links a seguir para as reservas:

Hotel ou apartamento: reserve o seu por este link no Booking.

Aluguel de carro: reserve no Rentalcars.

Seguro Viagem: faça o seu aqui e saiba tudo sobre seguro neste postPreços ótimos – experiência própria.

Câmbio (compra de moeda): esta é uma novidade do blog. Através deste link, você pode encontrar a melhor cotação para a compra de moeda estrangeira. Confira!

Não fique por fora das novidades e promoções do Mapa na Mão, seu blog de viagens:

  • Entra lá no Facebook, curta nossa página e convide amigos para curtir também: Mapa na Mão
  • Inscreva-se em nosso canal do YouTube: Mapa na Mão
  • Siga nosso Instagram: @mapanamao
  • E inscreva-se no nosso blog ali ao lado onde está escrito: ASSINE NOSSO BLOG

E já conhece a nossa loja virtual? Dá só uma olhada:nossa loja virtual – tua loja de viagens.

 

 

 

 

 

 

Você pode salvar este texto no seu Pinterest para futuras consultas, pinando a foto abaixo:

visita guiada à sala são paulo

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Buscando Curtidas...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Monte sua viagem

Ou nós montamos para você

Michela
Michela
Voltar

Eu sou o Dilamar, Bacharel em Direito, viajante nas horas vagas e não vagas. Sou admirador de viagens rodoviárias, principalmente aquelas bem longas e focadas em regiões montanhosas. E também sou ciclista amador e apaixonado por motos.

Eu sou a Letícia, tenho 14 anos e sou estudante. Gosto muito de pintar quadros, escrever poemas, ler e, principalmente, viajar. Para mim, o mundo é o meu quintal.

Eu sou a Ester. Tenho 26 anos e sou estudante de medicina. Moro em Floripa, sou apaixonada por Paris e frequentadora assídua de São Paulo, mas com os pés sempre em Criciúma, minha cidade natal. Amo sair do lugar, seja por poucos metros ou por muitos quilômetros, e de todas as formas possíveis. Das mais confortáveis viagens de trem às mais insanas viagens de carro. Conhecer o desconhecido me fascina! Viajar é minha maior paixão, mas devo arriscar dizer que sou quase tão apaixonada por montar os roteiros antes de viajar quanto pela viagem em si!

Olá, eu sou a Michela, Bacharela em Direito, pós graduada em Direito Constitucional, colecionadora de ímãs e de viagens. Conheci mais de 20 países, aliás, muito mais do que um dia imaginei conseguir, e vários recantos escondidos bem aqui pertinho de mim. Se canso? Jamais. Isso só aguça ainda mais meu desejo de percorrer este mundão. O que mais amo? Deus, minha família e viajar, claro.