Skip to main content

10 dicas para passear com segurança no Rio de Janeiro

Começo esse post pedindo licença aos amigos cariocas. Sei como é chato quando alguém de fora vem colocar defeitos na nossa terra. Mas faço esse post em respeito aos leitores e sobretudo ao Rio, já que cidade tão linda merece ser visitada, mesmo com a epidemia de violência que assola a cidade, infelizmente. Voltei de lá maravilhada com tanta beleza, mas tenho que admitir que é sim, necessário, tomar alguns cuidados extras por lá. Toda viagem, na verdade, precisa de mais cuidado do que já tomamos diariamente – estamos fora do nosso ninho e qualquer problema será mais difícil de resolver! Inclusive nas nossas primeiras viagens costumávamos ser um pouco mais desligados do que somos hoje porque, quando estamos fora de casa, tendemos a achar que estamos longe do perigo. Ledo engano!

Nesse caso, trago dicas específicas para o Rio. Antes de ficar essa semana no Rio para as Olimpíadas, só tinha ido uma vez para lá e passado apenas um dia (estava em um cruzeiro). Ou seja: não, não sou expert em Rio. Mas eu bati bastante perna por lá e fiz várias anotações mentais, e são elas que quero passar!

1. Escolha bem o lugar onde vai se hospedar

Essa eu considero a dica mais importante! Fiquei hospedada em Copacabana (em breve post sobre o apê em que ficamos!) e caminhei bastante pelo bairro. Me senti bastante segura lá. Senti o mesmo em Ipanema. Mas era só sair desses dois bairros que o cenário mudava bastante! Mesmo em Botafogo, que ainda é um bairro nobre, a situação era bem diferente e nos sentíamos mais inseguros. Vale pagar um pouco a mais e investir no local da hospedagem, já que será o lugar onde vais passar bastante tempo e provavelmente chegar muitas vezes de noite. A economia não compensa a insegurança! Então recomendo fortemente que escolha Copacabana ou Ipanema para hospedagem.

2. Não ande com acessórios, mesmo os mais baratos!

Essa é uma dica bem radical, mas acho que vale a pena seguir. É uma pena, mas há muitos ladrões que colocam a mão no colar sem dó para arrancá-lo do pescoço. Fizeram isso com a minha sogra, infelizmente (e o colar não era joia, mas mesmo assim ela foi roubada, já que eles arriscam o roubo com qualquer coisa que pareça valiosa).

3. Bolsa, só com pouco dinheiro!

Já falei aqui que sou muito adepta da algibeira em viagens. No Rio isso vale muito a pena! Eu até andava com bolsa para ter algum dinheiro à mão, assim como outras coisinhas como mapas, mas a maior parte do dinheiro ficava na algibeira. Assim, se alguém me abordasse, eu entregaria a bolsa sem medo (tá, com medo, mas sem tanto medo assim, haha). Aliás, fica a dica: mesmo levando dinheiro na algibeira, leve algum dinheiro na mão, nos bolsos ou na bolsa para entregar no caso de alguma abordagem e mesmo para não precisar abrir a algibeira quando for comprar uma água na rua, por exemplo.
VAIS CURTIR LER TAMBÉM: Confeitaria Colombo

4. Planeje muito bem os passeios de cada dia, consultando vários lugares e fazendo o roteiro no Google Maps

Nós queríamos fazer a trilha para o Mirante Dona Marta, e em vários blogs, pelo que eu entendia, era bem tranquilo de achar o começo da trilha. Fui confiando nisso e chegando lá não havia início nenhum de trilha demarcada! Cheguei a perguntar para moradores locais e ninguém sabia me informar. Acabei não fazendo a trilha por me sentir insegura, já que nem os moradores sabiam ao certo onde ela iniciava. Eu deveria ter olhado melhor antes e conferido inclusive no Google Maps. Desconfie!

5. Evite andar de carro!

Fomos para o Rio de carro, mas o deixamos em um estacionamento (anota aí: estacionamento na Avenida das Américas, 2000, na Barra – super recomendo) e só buscamos na hora de voltar para a terrinha. Melhor escolha que fizemos! Andamos de transporte público o tempo todo (trem, metrô, ônibus e VLT) e nos sentimos seguros. Principalmente o metrô é uma ótima forma de transporte e te leva para boa parte dos pontos turísticos no Rio. Eu só diria para tomar mais cuidado com o trem (fomos alertados disso por uma moradora local, inclusive). Se puder evitar o trem e optar sempre que possível pelo metrô, melhor. Eu não teria ficado tão tranquila se estivesse andando de carro, já que teria que prestar atenção ao trânsito, às vias e às possíveis abordagens. Além disso, carro acaba chamando mais atenção e criando vulnerabilidade em muitos momentos. Sem falar que estacionamentos no Rio são bem caros no geral! 

6. Faça um free walking tour pelo centro

Quem acompanha o blog sabe que sou viciada em free walking tours, e já contei aqui o por quê. Muitas vezes eles são a melhor forma de conhecer uma cidade, e no caso do centro do Rio isso é muito verdade! O centro do Rio acaba sendo um pouco mais perigoso do que outras regiões, principalmente para quem não o conhece e não sabe por onde andar. Como contornar isso? Fazendo um free walking tour! Dessa forma, estarás andando em bando e com um guia que conhece muito bem a região, sem correr o risco de entrar em ruas não recomendáveis. Fizemos com a Rio Free Walking Tour e adoramos (tem em português, inglês e espanhol).

7. Escolha bem os bares e locais onde irás de noite

Acabei não indo na Lapa pela noite por questão de tempo (contei aqui que se teve uma coisa que faltou nessa viagem foi tempo, haha), mas estava nos meus planos. Se também está nos teus, pesquise muito bem sobre a região do bar e qual o melhor transporte para chegar até lá. Andei de metrô várias vezes de noite e foi super tranquilo, mas acho que vale pesquisar sobre as imediações das estações. Qualquer coisa mande uma mensagem ou telefone para o bar! E tenha um número de telefone de táxi e algum dinheiro no bolso para qualquer emergência.

8. Suba a favelas apenas com guias

Muitas pessoas são adeptas do turismo de favela. Se for o teu caso, procure algum grupo de confiança para evitar perrengues!

9. Cuidado com as aglomerações e com os lugares muito vazios

Essa dica é válida para qualquer situação na vida, mas não custa lembrar. Minha sogra foi roubada próximo da Central do Brasil, onde costuma haver bastante aglomeração, local perfeito para a atuação de batedores de carteira. Já em locais vazios, o perigo de abordagem com violência torna-se maior!

10. Na dúvida, opte por passeios com empresas

Eu sou muito a favor de viajar com independência, sem contratar passeios fechados quando não há necessidade, para que eu possa fazer meu próprio horário. Mas, acima disso, sou a favor de viajar, do jeito que tiver que ser! E, se a insegurança bater no teu caso, contrate passeios fechados. Isso vale principalmente para locais como o Cristo Redentor, onde é um pouco mais complicado de chegar sozinho.

E tu? Já foi para o Rio? Tomou alguma medida extra de segurança ou as mesmas de sempre?

Onde se hospedar no Rio de Janeiro:

Fizemos uma seleção de hotéis (é só clicar aqui) ordenada pelas principais escolhas do site. Porém, logo no início, antes dos hotéis, podes escolher outros filtros como preço mais baixo primeiro, distância do centro da cidade, estrelas, e outros. Na coluna laranja à esquerda, preencha os campos com a data da entrada e da saída, o número de quartos, de adultos e crianças e clique em pesquisar. Só depois escolha o filtro que mais te agrada. Escolha teu hotel clicando nele e finalize a reserva. Qualquer dúvida, é só mandar nos comentários lá embaixo. Boa estada!

Se decidir ir ao Rioa gente pode te ajudar a economizar com os custos da viagem para lá! É só usar os nossos links para reservar:

Hotel ou apartamento: reserve o seu por este link no Booking.

Aluguel de carro: reserve no Rentalcars.

Seguro Viagem: faça o seu aqui (leia neste post tudo sobre seguro viagem).

Todos os sites acima, Booking, Rentalcar e Real Seguro Viagem, fazem cotações em diversas empresas, garantindo assim os melhores preços e opções para todos os gostos e gastos. Usando os nossos links, você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão, o que nos ajuda a seguir com o nosso trabalho!

Ainda virão muitos posts sobre o Rio, então não deixa de nos acompanhar pelas redes sociais para não perder nenhum:

  • Entra lá no Facebook, curta nossa página e convide amigos para curtir também: Mapa na Mão
  • Inscreva-se em nosso canal do YouTube: Mapa na Mão
  • Siga nosso Instagram: @mapanamao
  • E inscreva-se no nosso blog ali ao lado onde está escrito: ASSINE NOSSO BLOG

Você pode salvar este texto no seu Pinterest para futuras consultas, pinando a foto abaixo:

dicas para passear com segurança no rio de janeiro

Espero que tenham curtido!

SalvarSalvar

14 thoughts to “10 dicas para passear com segurança no Rio de Janeiro”

    1. Lindo demais, né, Anita? Pois é, dá para viajar tranquilo para lá, se trata mesmo de tomar cuidado e escolher bem por onde vai passar! Bj!!

  1. Vou para o Rock in Rio e chegarei ao Rio antes do meu grupo (por estar vindo de um lugar diferente), chegarei 12 horas antes deles e queria aproveitar esse tempo. Avalie meus planos. Penso em pegar um frescão do Galeão ao
    Santos Dumont, lá eu pegaria o VLT para a parada dos museus e visitar alguns pontos ali. Ao fim (antes de escurecer) pegarei o VLT para uma estação de metrô e de lá seguirei para Botafogo, onde ficarei hospedado, que fica a 600 metros da estação. Só que isso tudo será feito por um cara que nunca pisou no Rio, sozinho e com uma mochila que carrega tudo que tenho. Qualquer informação será de grande ajuda.

    1. Celso, desculpe não ter conseguido responder a tempo, pois estamos com uns projetos que têm tomado nosso tempo. Espero que a viagem tenha sido maravilhosa e tenha dado tudo certo. Abraço!

  2. vou passar uma semana no rio agora no feriado e o hotel onde vou ficar fica em Copacabana andar pelo bairro e pela praia seja de dia ou de noite é seguro ou melhor evitar??
    e os locais turisticos são seguros também?? sou estudante de arquitetura e vou juntamente com uma turma de alunos e professores com uma empresa de turismo contratada e nao achei nada melhor do que esse site pra saber

    1. Fabio, querido, te peço milhões de desculpas, mas não vi teu comentário a tempo da tua viagem. Ainda está no Rio? Se precisar de mais alguma ajuda, nos fale. Grande abraço!

    1. Oi, Lucas! Eu não me hospedaria por lá não… Botafogo bem próximo da praia é ok (apesar de que não me senti tão segura quanto em Copacabana e Ipanema), mas é só ir poucas quadras pra trás que já começava a ficar com um pouco mais de medo. Eu não deixaria de visitar Botafogo, mas tomando bastante cuidado.

Oi! Tem alguma dúvida, sugestão, dica ou comentário, deixe aqui para nós e viajemos juntos!

%d blogueiros gostam disto: